Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Quem é Glamour Garcia, a primeira transexual a vencer o Troféu Domingão

Quem é Glamour Garcia, a primeira transexual a vencer o Troféu Domingão

“Nós somos pessoas múltiplas, e múltiplas em nós mesmos”, defende atriz

Quem é Glamour Garcia, a primeira transexual a vencer o Troféu Domingão

Se tornando mais um símbolo de liberdade para as mulheres, Glamour Garcia ganhou os olhares do Brasil ao vencer o Troféu Domingão no final de 2019. Aparecendo em filmes e séries documentais sobre a questão de gênero e sua luta, ela ganhou fama ao ser revelação na novela A Dona do Pedaço, exibida pela TV Globo.

Primeira mulher trans a receber o prêmio, Glamour se torna um ícone de representatividade no país que mais mata homossexuais e pessoas trans no mundo.

Rumo ao Glamour

Nascida na cidade de Marília, interior de São Paulo, Garcia é filha de uma psiquiatra e um empresário de eventos. Estudou artes cênicas e artes do corpo, mas segundo ela, não chegou a se formar.

Aos 20 anos, iniciou o tratamento com hormônios, marcando um momento importante na sua transição como pessoa transexual.

Participando de inúmeros projetos audiovisuais, fez participação na série Liberdade de Gênero, exibida pelo GNT, que apresentava a realidade de diversas pessoas consideradas fora dos padrões de gênero socialmente aceitos no contexto brasileiro.

Estrela de 2019

Glamour ficou nacionalmente conhecida após desenvolver o papel de Britney, na novela das 21h da Rede Globo. Como reconhecimento do trabalho, recebeu inúmeros prêmios, entre eles o Troféu Domingão de Atriz Revelação.

Em discurso emocionante, Glamour destacou a importância de ter sido a primeira mulher trans a receber o prêmio: “Infelizmente a estatística de vida das pessoas trans ainda é muito curta justamente por causa disso, as pessoas trans são violentadas e assassinadas ainda. Estar aqui hoje junto com a Nany [People] é uma prova de que nós não somos só capazes, nós também somos felizes, acreditamos, ocupamos nosso espaço. Tenho muito orgulho de ser atriz e estar aqui hoje”.

As redes sociais comemoraram a vitória da atriz, que ocupou os assuntos mais comentados no Twitter na noite da premiação. Com 31 anos, Garcia consegue levar sua mensagem a diversas pessoas que um dia sonham em estar no mesmo lugar que ela, mas convivem com as dificuldades de viver em uma sociedade ainda intolerante.

Na internet é possível encontrar diversas entrevistas com a atriz, incentivando jovens como ela a não desistirem de seus sonhos e lutarem pela vida que desejam. 

Brasil e preconceito

Mas afinal, o que tem de mais em uma pessoa trans receber um prêmio tão disputado no país?

O Brasil lidera o ranking mundial de mortes de pessoas homossexuais e transsexuais, ano após ano. Embora não existam estatísticas oficiais, os números são assustadores. E a falta de políticas públicas que ofereçam o mínimo de amparo para essa população é igualmente alarmante.

Os mesmos números apontam para o agravamento da situação quando as vítimas são mulheres. O feminicídio é um dos problemas sociais agravados por meios de comunicação violentos e a cultura do machismo.

Nos últimos anos, principalmente com o uso da internet pelas novas gerações, o debate de questões de gênero tem avançado na sociedade, mas ainda surte poucos efeitos na vida dessas pessoas.

Principalmente nas redes sociais, as pessoas conseguiram ampliar suas vozes modificando profundamente diversas estruturas sociais e a forma como elas representam suas comunidades.

Na publicidade, as principais mudanças puderam ser vistas em campanhas de bebidas, produtos de beleza e vestuário. Vendo a necessidade de acompanhar a mudança de mentalidade de seus consumidores, as empresas abriram espaço para uma variedade de corpos e belezas mais próximas da realidade.

Esses avanços têm sido bloqueados devido a alguns posicionamentos do atual governo, que, de maneira firme — como é possível observar por meio de declarações das autoridades em vigor —, impedem que pessoas como Glamour Garcia continuem a vislumbrar um futuro longe da opressão que as persegue há décadas.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

2 comentários

  1. Uma pessoa q sofreu vários abusos sexuais desde criança no próprio lar e certo q se faca de vítima pois não tem coragem de denunciar nem um segurança de um bar de sp q a estuprou durante dois dias não iria fazer isso no próprio lar…baita noia de cocaína e tudo mais… alcoólatra de carteira…tá querendo moral ainda…denuncie seus estupradores

  2. Uma pessoa q sofreu vários abusos sexuais desde criança no próprio lar e certo q se faca de vítima pois não tem coragem de denunciar nem um segurança de um bar de sp q a estuprou durante dois dias não iria fazer isso no próprio lar…baita noia de cocaína e tudo mais… alcoólatra de carteira…tá querendo moral ainda…denuncie seus estupradores hd

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *