Últimas Notícias

Norte de Minas – Idene assume gestão do Projeto Jequitaí, no Norte de Minas

Norte de Minas – Idene assume gestão do Projeto Jequitaí, no Norte de Minas

Norte de Minas – O Projeto Hidroagrícola Jequitaí, no Norte de Minas, poderá ser retomado nos próximos meses, com a injeção de novos recursos. O comando das responsabilidades de gestão ambiental, social e fundiária foi transferido ao Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene). Antes, a coordenação era feita por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

Norte de Minas - Idene assume gestão do Projeto Jequitaí, no Norte de Minas
Norte de Minas – Idene assume gestão do Projeto Jequitaí, no Norte de Minas

 

O vice-governador de Minas, Paulo Brant, destaca que o instituto está entrando no comando de uma obra fundamental para o desenvolvimento econômico da região. A medida vai garantir o abastecimento de municípios que enfrentam problemas com a escassez de água. “Queremos trabalhar e entregar as barragens Jequitaí I e II e transformar a área, solucionando o problema hídrico”, complementa o subsecretário de Desenvolvimento Integrado e diretor-geral do Idene, Nilson Borges.

Ao assumir a gestão do projeto Jequitaí, o Idene, pela condição administrativa de autarquia, pode acelerar ações, inclusive para licitação e contratação de serviços. Em um mês, deve ser assinado termo de cooperação com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), que tem uma superintendência em Montes Claros, para anunciar recursos federais.

Perfil das barragens 

O projeto hidroagrícola vai beneficiar 16 municípios, com 630 mil habitantes, ao todo. A obra prevê a construção de duas barragens de concreto, sendo a primeira formada por um lago de 9 mil hectares, que se estenderá pelas cidades de Jequitaí, Francisco Dumont e Claro dos Poções. A segunda terá capacidade para irrigar 35 mil hectares. Uma área de preservação permanente, com cerca de 2,1 mil hectares será implantada no entorno das estruturas.

A barragem 1 será destinada a múltiplos usos, como abastecimento de municípios vizinhos, controle de cheias, geração de energia, piscicultura, turismo e lazer. Já a barragem 2 tem como principal função abastecer os canais de irrigação e gerar 12,4 megawatts de energia.