Últimas Notícias

Montes Claros – Acesso a capital é atrativo para abertura de empresas em Montes Claros, aponta pesquisa

Montes Claros – Acesso a capital é atrativo para abertura de empresas em Montes Claros, aponta pesquisa

Montes Claros – Criado com a intenção de embasar a análise de empreendedores e gestores públicos, o “Índice de Cidades Empreendedoras” examinou dados dos 100 municípios brasileiros mais populosos no que se refere à capacidade de atrair de novos empreendimentos. Montes Claros apareceu na 67ª posição mas, se analisarmos as categorias de forma individual, identificamos que a maior cidade do Norte de Minas se destaca em diversos quesitos que podem ser determinantes para atrair novos investimentos.

Montes Claros - Acesso a capital é atrativo para abertura de empresas em Montes Claros, aponta pesquisa
Montes Claros – Acesso a capital é atrativo para abertura de empresas em Montes Claros, aponta pesquisa Fotos: Fábio Marçal

 

A categoria “Acesso a Capital” apresenta indicadores que mostram como a disponibilidade de recursos para investir em um negócio, seja em sua fase inicial, seja em momentos de crescimento, é determinante para o futuro de uma empresa. O acesso e o custo desses recursos, segundo o estudo, é considerado pelos empresários como o principal entrave a ser superado na abertura de um novo negócio.

Na categoria “Acesso a Capital”, Montes Claros ficou no 64º lugar, o que coloca a cidade à frente de diversas cidades brasileiras conhecidas pela sua produção industrial ou pelo produto interno bruto elevado, como Betim (67ª posição), Contagem (69ª), Campos dos Goytacazes (71ª) e Suzano (75ª). A categoria analisa indicadores como o número de operações de crédito por município, proporção relativa ao capital de risco e capital poupado per capita.

O estudo foi realizado por técnicos da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), entidade que capacita servidores públicos, e da Endeavor, organização que incentiva o empreendedorismo no mundo, e utilizou dados públicos, referentes ao ano de 2020, de entidades como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por exemplo.