Últimas Notícias

Montes Claros – Montes Claros dá exemplo de convivência com a escassez de água

Montes Claros – Montes Claros dá exemplo de convivência com a escassez de água

Montes Claros – O Pró-Água, programa da Prefeitura de Montes Claros criado com o objetivo de mobilizar as comunidades para ações de captação, distribuição e manutenção de água e combate ao desperdício, disponibilizou, no ano passado, mais de R$ 1,7 milhão, oriundos do Tesouro Municipal, para atender as 78 associações rurais que aderiram ao projeto, beneficiando diretamente 5.200 famílias, que totalizam cerca de 20 mil pessoas.

Montes Claros dá exemplo de convivência com a escassez de água
Montes Claros dá exemplo de convivência com a escassez de água Fotos: SEMMA
Os recursos são utilizados para pagar a conta de energia elétrica das bombas dos poços artesianos, fazer a manutenção da rede e desenvolver projetos de captação de água. Cada associação pode atender de 12 a 99 famílias. Neste ano, a Prefeitura disponibilizou R$ 2,2 milhões, e cada família receberá R$ 36,64 por mês, pelo programa.
Na execução do Pró-Água, técnicos da Prefeitura prestam suporte completo às associações, desde a elaboração do projeto até a utilização dos recursos disponibilizados. “Depois que a Prefeitura implantou o Pró-Água, nunca mais tivemos problema com a falta de água, como quando a bomba d`água queimava e demorava alguns dias para consertá-la. Agora que este serviço é de responsabilidade da comunidade, nunca mais tivemos problema. Aqui na associação, por exemplo, fica sempre uma bomba sobressalente”, comentou o presidente da associação rural das
comunidades de Cabeceiras e Baixa, José Edmar Santos, o Tim.
Para a agricultora e tesoureira da associação da comunidade Poder Mundial de Deus, Iralda Mendes Campos, o Pró-Água é um importante serviço que está ajudando a população da zona rural de Montes Claros a conviver com a escassez de recursos hídricos. “Este programa é muito bom e veio resolver o problema da falta de água da nossa comunidade. Além de cobrir todas as despesas com canos, reparos, e etc., ainda paga a conta de luz do poço artesiano”, elogiou Iralda, que aproveitou para fazer um apelo para que a comunidade tenha mais consciência: “é preciso que todo morador seja filiado e pague em dia sua mensalidade para a associação cumprir com seus compromissos, principalmente pagando as despesas de cartório, que não são baratas, para que todos sejam beneficiados, já que este programa, que é ótimo, exige que a associação esteja adimplente”.
Segundo o agricultor Moacir Teixeira de Souza, o Pró-Água foi uma importante solução: “aqui, na nossa comunidade dos Ipês, nunca tivemos problema de falta de água, por causa deste programa que ajudou a conscientizar a população para evitar o desperdício, usando apenas a sua cota.”
De acordo com o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Osmani Barbosa Neto, o programa Pró-Água foi reformulado e ampliado nesta Administração para promover ainda mais a democratização do acesso à água e sua apropriação pela sociedade, e está sendo fundamental para o atendimento das famílias rurais, especialmente as de baixa renda.