Últimas Notícias

Procura por corpos cada vez mais malhados aumenta o retorno às academias em 88%

São Paulo, SP 21/9/2021 – Tudo precisa ser feito de perto, com entendimento da fisiologia humana do atleta para poder auxiliá-lo na preparação

A hipertrofia é um dos objetivos mais frequentes entre alunos e atletas de fisiculturismo nas academias, e para isso é necessário um acompanhamento profissional para orientar

O mercado fitness e a busca pelo corpo perfeito vêm crescendo por todo o mundo, dando destaque a corpos malhados, como no fisiculturismo, segundo o levantamento da International Health, Racquet & Sportsclub Association (IHRSA, 2019). De acordo com os dados, no Brasil o mercado fitness alcançou a marca de US$ 2,1 bilhões, em 2019, sendo o terceiro maior das Américas, atrás apenas dos EUA e do Canadá (com receita de quase US$ 3 bilhões). E a procura pelo corpo estrutural só aumentou, sob o prisma do número de clientes, o Brasil aparece em quarto lugar, com 9,6 milhões de usuários contabilizados nas academias.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), atualmente, com a pandemia da Covid-19, o mercado fitness sinaliza uma recuperação rápida, pois 88% das assinaturas dos desistentes das academias foram reativadas. O nicho de academias apresenta uma variação positiva de 3,1%, movimentando mais de R$ 35 bilhões no ano.

Quando se fala de corpos muito malhados, fisiculturismo ou bodybuilding, o foco principal, sobretudo, é a disciplina com a regularidade, perfeição, comprometimento e resiliência de quem treina, e isso de forma harmoniosa incluído na rotina do atleta, afirma Rafael Lorencetti dos Santos, graduado em Educação Física e pós-graduado em Fisiologia do Exercício e Prescrição de Treinamento.

“O fisiculturista tem como objetivo a estética corporal trabalhando a hipertrofia muscular, simetria corporal e baixíssimo percentual de gordura corpo. Com a experiência que tenho com treinamento especializado de atletas de fisiculturismo, posso dizer que para quem quer ter o corpo ou ser um atleta é necessária muita dedicação, desde as quantidades de peso levantados nos treinamentos, dieta alimentar, até as horas exatas de sono”, explica Rafael.

Conforme o especialista, para quem busca esse estilo de vida o ideal é seguir orientações de profissionais de educação física e fisiologistas, que são capazes de fazer os acertos necessários, principalmente para quem quer participar de competições.

De acordo com a Confederação Brasileira de Musculação, Fisiculturismo e Fitness (CBMFF – IFBB Brasil), no Brasil, o Bodybuilding é um dos esportes que mais vêm ganhando destaque entre os adultos e adolescentes que buscam um físico simétrico e atlético. A confederação conta com 24 federações filiadas, com 2.700 atletas que participam de competições e um total de 18 mil culturistas.

“Para quem quer fazer parte de competições é necessário alinhar toda a rotina de treinos, descansos e horas de sono. Entender que quando o campeonato se aproxima é preciso observar as diferenças que o corpo mostra e ir ajustando de acordo com objetivo traçado, para que no grande dia da apresentação ele esteja ao máximo e faça a diferença em cima de um palco. Mas aqueles que não querem participar de competições e só desejam ter o corpo estruturado, também precisam seguir uma rotina baseado no foco”, relata o instrutor físico.

Um levantamento recente feito pelo YouTube, a pedido do F5, mostra que mesmo com a pandemia da covid-19 brasileiros estão entre os cinco povos que mais buscaram na plataforma de vídeos por atividades de condicionamento físico e ganho de massa muscular em casa, nos últimos meses. Entre março de 2020 e maio de 2021, o estudo feito pelo Google Trends mostra que foram registradas 370 milhões de buscas de vídeos de exercícios com os termos casa ou sem equipamento, no título. No YouTube, as pesquisas sobre rotina de exercícios diários aumentaram mais de 3.750%, entre março de 2020 e junho de 2021, em comparação aos 15 meses anteriores. 

Rafael Lorencetti, que também tem projetos e promoção de desafios de treino on-line, avisa que para ter um corpo malhado ou ser um fisiculturista é necessário ter um bom acompanhamento profissional com atividades focadas para esse objetivo, e que não é indicado fazer os treinos de hipertrofia muscular sozinho. “Tudo precisa ser feito de perto, com entendimento da fisiologia humana do atleta para poder auxiliá-lo na preparação, sem perder tempo e prejudicar a saúde”, finaliza o profissional.