Últimas Notícias

Microempreendedorismo amplia demanda por criação de sites

25/10/2021 – O empreendedor precisa ter em mente que não é preciso ser especialista em desenvolvimento de sites para implementar um comércio eletrônico

Segundo Serasa, foram abertos mais de 300 mil novos registros para MEIs em janeiro de 2021; tendência de digitalização de pequenos negócios durante pandemia de Covid-19 reforça importância de empresas que desenvolvem sites e serviços de e-commerce

Os brasileiros estão empreendendo mais, e em plena pandemia de Covid-19. Foi o que demonstrou o balanço da Serasa Experian, que revelou que o Brasil bateu o recorde no número de aberturas para registros de MEIs (microempreendedores individuais) no mês de janeiro de 2021. Segundo o órgão, o país registrou 312.462 empresas da categoria – maior resultado já registrado desde janeiro de 2010, quando teve início a série histórica.

E no atual cenário de crise sanitária, os pequenos negócios que aderiram ao comércio eletrônico conseguiram reduzir a queda no faturamento, segundo pesquisa recente do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e da FGV (Fundação Getulio Vargas) que investiga os impactos da pandemia para os microempreendedores e observa o uso da internet para vendas.

De acordo com o levantamento, realizado na primeira semana de junho, os pequenos negócios que estão no ambiente virtual tiveram queda de faturamento de 42%, contra perdas da ordem de 44% para quem ainda não atua com o comércio eletrônico.

Fato é que a pandemia de Covid-19, ao mesmo tempo que impactou nesta queda na movimentação do comércio, também motivou a maior digitalização destes negócios de menor porte no país: segundo dados do Sebrae, a adesão dos micro e pequenos empreendedores ao e-commerce passou de 59% para 67% no período de um ano, contado a partir de maio de 2020.

Especialista dá dicas para pequeno empreendedor aderir a e-commerce

Para Giedrius Zakaitis, CEO do criador de sites Zyro, os números deixam claro que os pequenos negócios que apostaram nas vendas digitais foram os que alcançaram melhores resultados durante a crise sanitária, o que traz à tona a necessidade do investimento na criação de sites que possam realizar um serviço de e-commerce eficaz.

“O pequeno empreendedor precisa ter em mente que as vendas on-line vieram para ficar e que, nesta transição, não é preciso ser especialista em desenvolvimento de sites para implementar um comércio eletrônico”, afirma.

Segundo Zakaitis, ferramentas oferecidas pelos criadores de sites permitem que qualquer pessoa desenvolva uma página na web com um visual profissional, sem a necessidade de experiência prévia de design. 

“Graças a avanços na área de desenvolvimento de sites, hoje, mesmo quem não entende de programação, pode contar com templates prontos feitos por designers com uma opção de personalização descomplicada. Nos anos 90, por exemplo, não existia toda essa tecnologia, era apenas o começo da transformação da internet e das nossas vidas on-line”, frisa.

De acordo com o especialista, é necessário se atentar a alguns detalhes, como a opção por um layout esteticamente agradável e fácil de navegar, que dispense a necessidade de instruções.

“Além disso, é preciso praticar o chamado ‘mobile friendly’, que consiste na construção de um site amigável para dispositivos móveis, o que melhora tanto a experiência do usuário quanto o SEO, que é a otimização para mecanismos de busca do seu e-commerce”, acrescenta.

A importância de um site ser ‘mobile friendly’ pode ser mensurada por dados dados coletados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) referentes ao ano de 2019, que apontam que 98,6% dos brasileiros com 10 anos ou mais utilizam celulares para acessar à internet, ante 46,2% que fazem uso de microcomputadores.

O CEO do Zyro também ressalta a importância de haver consistência de marca, ou branding, e um bom design, além de escolher um layout de e-commerce limpo e legível, “que una usabilidade e responsividade”.

“E uma última dica: microempreendedores que buscam aderir ao e-commerce irão investir e gastar uma certa quantidade de dinheiro, mas existem ferramentas gratuitas on-line que podem ajudar pequenos negócios de diversos setores a se posicionarem e criar uma presença digital. Por exemplo, ferramentas para construção de site com templates prontos, plataformas para criar a sua logo, redes sociais para divulgação e engajamento, cursos on-line, e muito mais”, conclui.

Website: https://zyro.com/br