Últimas Notícias

Cerca de 60% das pequenas empresas investirão em automação nos próximos 10 anos

São Paulo, SP 25/2/2022 – A automação robótica de processos é um tema recente para muitos e tem transformado a forma com que as empresas trabalham.

A automação dos processos, com o uso de robôs, está no planejamento de empresas com até 25 funcionários e deve ser realidade em até 10 anos, segundo pesquisa. Atualmente, apenas 36% dos pequenos negócios investem nesse tipo de tecnologia, enquanto 71% das médias empresas já utilizam robótica para melhorar a performance de suas atividades.

A utilização de softwares de automação, com o uso de robôs, ainda não é realidade na rotina de pequenos negócios, com até 25 funcionários. Entretanto, segundo a Pesquisa de Automação ABB Robotics 2021, realizada pela companhia de mesmo nome, 60% dessas pequenas empresas querem adotar processos de automação em até 10 anos. Já entre as médias empresas, o investimento em automação já faz parte da realidade de 71% dos entrevistados.

A automação dos processos dentro das empresas, especialmente com a ascensão da chamada Indústria 4.0, é um caminho sem volta. Segundo a Gartner, em seu reporte sobre tendências tecnológicas para 2022, o mundo já está, inclusive superando o conceito de automação e investindo em hiper automação, que significa um crescimento acelerado do uso de tecnologias que promovam processos independentes em todas as áreas possíveis dentro das empresas.

De acordo com a Statista, no caso do uso de robôs em automação, tecnologia conhecida como RPA (Robotic Process Automation, ou Automação Robótica de Processos, em tradução livre), existe a expectativa de que esse mercado alcance US$ 10 bilhões em 2023. Para se ter uma ideia do nível de crescimento do setor, em 2020, os investimentos foram de US$ 4 bilhões e não chegavam a US$ 1 bilhão em 2017.

“A automação robótica de processos é um tema recente para muitos e tem transformado a forma com que as empresas trabalham. De forma resumida, o RPA é o uso de robôs digitais que farão trabalhos e processos repetitivos que antes eram realizados por pessoas. Esses robôs tendem a facilitar o dia a dia dos usuários que antes executavam tarefas demoradas e importantes para a empresa”, explica o especialista em Tecnologia da Informação, Paulo Roberto Barth.

O profissional, que tem mais de 17 anos de experiência na área, afirma que o uso de RPA resulta em várias vantagens para a empresa, aumentando a competitividade delas no mercado. Otimização e agilidade nos processos, assim como maior produtividade nas rotinas diárias da organização são algumas dessas vantagens.

“Além disso, o RPA pode trazer redução de custos para as empresas, tornando-as cada vez mais competitivas. O foco é direcionar o trabalho para funções mais estratégicas, tirando dos usuários trabalhos repetitivos, que demandam tempo e podem gerar erros. O RPA é uma tendência e ajudará muitas empresas e usuários a tornar suas tarefas repetitivas, que antes exigiam uma ou várias pessoas e que agora podem ser realizadas automaticamente”, acrescenta.

Barth também explica que a tecnologia pode ser aplicada em várias áreas da empresa, sendo bastante eficiente na área fiscal e na emissão automática de documentos. “Podemos aplicar os robôs em vários processos, sendo os mais comuns em operações de vendas, operações em compras, conciliação em registros contábeis, comunicação entre órgãos do governo, como em recebimento de notas fiscais, gestão de folha de pagamento. Com isso, podemos afirmar que o RPA impacta na maioria dos setores como saúde, energia, finanças, bancos, manufatura, entre outros, podendo ser beneficiadas desde empresas de pequeno porte como de grande porte”, completa.

Empresa conseguiu melhoria em 57% de performance do setor contábil com uso de RPA

Em um relato de caso publicado no site da Associação de Empresas e Profissionais da Informação (Abeinfo), uma empresa de transportes afirma ter melhorado em 57% a performance do seu setor contábil com o uso da Automação Robótica de Processos (RPA). Segundo o relato, o fechamento contábil, que antes exigia sete dias de trabalho, utilizando em torno de 56h horas úteis, passou a ser concluído em três dias, demandando cerca de 24h úteis.

O especialista em TI Paulo Roberto Barth, que participou da implementação de RPA no processo de recebimento de notas fiscais de uma empresa de grande porte, relata que o trabalho que antes consumia, por dia, três horas de três profissionais, passou a ser feito em 30 minutos por um profissional. “O processo de automação permitiu que aqueles três profissionais pudessem focar em atividades mais estratégicas para a empresa”, conclui. 

Website: https://www.linkedin.com/in/paulo-roberto-barth-76b18125/