Cooperativas agroindustriais investem em soluções de ERP

São Paulo, SP 15/3/2022 – Muitas vezes um projeto dessa complexidade traz um intangível que as empresas acabam não olhando.

A transformação digital tornou-se vital para que as empresas do agronegócio consigam se manter competitivas no mercado. Isso se torna essencial à medida que os negócios crescem e o número de processos operacionais aumenta. Nesse cenário, a adoção de tecnologias de gerenciamento como ERP se tornam essenciais. Cooperativas como a Frísia enxergaram isso, alcançando a padronização de até sete mil processos.

A transformação digital tornou-se vital para que as empresas consigam se manter competitivas no mercado, e isso se torna essencial à medida que os negócios crescem e o número de processos operacionais aumenta. Esse foi o caso da Frísia, uma das maiores cooperativas agroindustriais do Brasil, que investiu em um projeto ERP de três anos de duração para padronizar seus processos de gestão. 

Fundada há 96 anos, a Frísia é uma cooperativa agroindustrial com mais de 800 cooperados e que atua em segmentos distintos: assessoria ambiental, armazenamento de grãos, assistência técnica agrícola e pecuária, combustíveis, logística, lojas agropecuárias, inovações tecnológicas, projetos técnicos agropecuários, produção suína, recria de novilhos para produção leiteira, rações e sementes.

A empresa realizou seu melhor semestre em receita da sua história entre janeiro e junho de 2021, gerando uma receita líquida de R$ 2.472 bilhões, um aumento de 53,9% comparado ao mesmo período do ano anterior. Com a expansão de suas atividades e o crescimento do agronegócio no Brasil, a cooperativa sentiu a necessidade de tornar seus processos de gestão mais ágeis e eficientes centralizando todos em uma única plataforma.

De acordo com projeções da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)  e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o agronegócio brasileiro deverá crescer 5% a mais este ano. Espera-se uma safra recorde de grãos 14% maior do que em 2021, com estimativa de 289 milhões de toneladas. Já na pecuária, estima-se um crescimento de 22% no faturamento de gado de corte, 47% na avicultura de corte e 20% nos suínos. 

Gestão conectada

O principal objetivo da Frísia com a implementação da nova solução de ERP era atender a três pilares principais: tecnologia atualizada, padronização de processos e a utilização de ferramentas automatizadas e ágeis para contribuir para o crescimento da cooperativa. Mas o principal desafio era padronizar a gestão de 7 mil processos de diferentes áreas em uma única plataforma.

“No pré-projeto, quando nós avaliamos a Frísia no passado, a empresa era um chapéu com 12 empresas debaixo. Trata-se de um projeto robusto e de uma complexidade gigantesca para a Frísia. E não se trata apenas de processos, porque temos complexidade de processo e complexidade tributária. Além disso, a empresa não parou. É como trocar a turbina de um avião em pleno voo. Escolhemos a multitech Ninecon como parceira e demandamos muito deles porque a operação não poderia parar”, explica Nevair Mattos, diretor financeiro da Frísia. “Do ponto de vista financeiro, ok, são alguns milhões, mas o que isso vai me trazer na realidade? E muitas vezes um projeto dessa complexidade traz um intangível que as empresas acabam não olhando. E elas precisam ter essa auto-avaliação se aquilo que elas querem de planejamento estratégico e de futuro o ERP que elas têm hoje entrega”, conclui.

Batizado de “Projeto Conecta”, o pré-projeto teve início no dia 1º de julho de 2018 e envolveu a preparação da infraestrutura e a capacitação dos funcionários da cooperativa para atuarem no ambiente da plataforma.

Somente em janeiro do ano seguinte o projeto começou a ser efetivamente implementado, com a capacitação inicial de 52 colaboradores da Frísia, chegando a 90 participantes. No total, mais de 112 pessoas foram envolvidas no projeto, entre colaboradores da cooperativa e equipe técnica da Ninecon.

“O que nós buscamos é mostrar novas perspectivas para a Frísia visando o futuro e o que será a Frísia em 2025, 2030. A cooperativa possuía 12 áreas que operavam de forma independente, o que dificultava a gestão 360º. A saída desafiadora foi centralizar todos os processos dessas áreas em uma plataforma única, integrada por módulos diferentes e que proporciona mais agilidade nos processos e uma melhor governança”, explica Herlon Acosta, Diretor de Contas da Ninecon. 

Com a atualização do ERP da Frísia, a cooperativa agora pode oferecer um maior diferencial competitivo aos seus cooperados, o que aumenta o índice de fidelização e agilidade nos processos, do estoque de grãos aos processos produtivos.

“Temos hoje a conclusão da primeira fase de nosso projeto de ERP. Com isso, nós teremos a condição de crescermos e executarmos nosso planejamento estratégico. Estaremos juntos no mesmo patamar de outras empresas, com controles melhores para termos segurança em nosso crescimento. Agora, temos a possibilidade de construirmos uma Frísia rumo aos 100 anos. Para isso, nosso ERP é muito importante para que consigamos chegar lá e fazer com que nossos cooperados possam se beneficiar de uma cooperativa cada vez mais forte, mais sólida e que busca constantemente a melhoria dos seus processos“, comenta Renato Greidanus, diretor presidente da Frísia.

Website: https://www.frisia.coop.br/