Últimas Notícias

Dentes separados: como tratar e quais as verdadeiras causas?

Você possui os dentes separados e tem dúvidas sobre como tratar?! Veja nosso artigo completo e saiba como ter um sorriso mais lindo!

Ter os dentes espaçados é uma característica bastante comum do sorriso, principalmente na infância. 

Apesar de muitas pessoas acharem um charme, outras não convivem bem com essa condição, tendo assim um motivo para buscar o tratamento ortodôntico.

Neste artigo, vamos te guiar em uma leitura para que você entenda tudo sobre dentes separados, também chamado de diastema. Selecionamos as principais causas e as possibilidades de tratamento para tirar  todas as suas dúvidas! 

O que são dentes separados?

A condição dentária de dentes separados é chamada de diastema. Trata-se de um espaço entre um ou mais dentes, que normalmente acontece nos dentes frontais superiores, mas também pode acontecer em outros dentes. 

Não é considerado um problema de saúde bucal ou ortodôntico, que sinaliza doenças ou inflamações na boca, mas pode vir a ser, dependendo do tamanho do espaço. 

Além disso, ter os dentes separados pode causar desconforto estético, quando esse espaçamento é maior do que o indivíduo espera.

O que causa espaçamento entre os dentes?

O espaçamento entre os dentes pode acontecer de várias maneiras. Porém, o diastema tem uma maior aparição na infância. 

Quando as crianças ainda estão em fase de dentes de leite, é comum ficarem com os dentinhos separados, justamente porque os dentes permanentes são maiores, precisando de mais espaço para se desenvolver do que os de leite. Após a troca dos dentes, é normal o espaço fechar.

Embora essa fase de dentição seja bem recorrente, existem ainda outros fatores biológicos e hábitos que podem causar os dentes separados. São eles:

Tamanho diferente dos dentes

Cada sorriso é único. No entanto, algumas pessoas têm dentes maiores e outras dentes menores. Esses tamanhos diferentes podem fazer com que sobre espaço na boca;

Ausência de algum dente

A falta de algum dente pode abrir um espaço e fazer com que os dentes em boca se movimentem e abra-se um diastema. 

Uso de chupeta e mamadeira

Pode parecer inofensivo, mas a chupeta e a mamadeira exercem força sob os dentes quando a criança está realizando a sucção do líquido. A força aplicada pode fazer com que os dentes se movimentam

Respiração bucal

Respirar pela boca reduz a pressão dos lábios e pode mudar o formato das arcadas dentárias, e ainda, dos ossos maxilares. 

Além disso, ficar com a boca muito tempo aberta para inspirar com a língua mal posicionada também pode gerar algumas consequências, podendo alterar a anatomia do rosto. 

Problemas que podem surgir com o diastema

Os  dentes separados não significam uma doença ou patologia, mas podem incomodar em alguns sentidos, dependendo do tamanho desse espaço. 

Em crianças, pode gerar distúrbios genéticos, como a produção de sons indesejáveis e dificuldade de entonação, por exemplo. Se isso não for tratado naquele período da vida, pode se estender para a vida adulta. 

Já para quem possui o diastema nos dentes responsáveis pela mastigação, como os molares, isso pode virar um problema de saúde bucal a longo tempo, já que podem se acumular restos de alimentos. 

Nesse caso, é recomendado muito cuidado e atenção com os hábitos de higiene oral.
Por fim, algumas pessoas podem se sentir incomodadas pelo fator estético, afetando diretamente a confiança e a autoestima.

Como tratar dentes separados?

Existem algumas soluções viáveis para fechar os espacinhos, que dependem do tamanho e gravidade – além da necessidade do paciente.

Os tratamentos ortodônticos mais comuns são os aparelhos fixos convencionais (metálico, estético ou lingual), o aparelho invisível e o preenchimento com resina. A seguir, veja mais detalhes sobre os tratamentos.

Aparelho fixo convencional

Os aparelhos convencionais tem como objetivo alinhar dentes, por isso também podem fechar esses diastemas. 

São tratamentos potencialmente mais longos e considerados menos confortáveis, tendo em vista que o fio metálico e os braquetes podem machucar a boca por dentro.

Esse tipo de tratamento normalmente é indicado para crianças, que ainda não possuem maturidade suficiente para usar um aparelho removível corretamente. Já que, dessa forma, pode ser mais fácil manter a disciplina e a constância do aparelho em boca.

Preenchimento com resina

A aplicação de resina para fechar os pequenos espaços. É um preenchimento estético e deve ser feito com cuidado, para que o material acompanhe a cor dos outros dentes e o resultado fique natural e equilibrado.

Já para espaços muito grandes, que já foram ocupados anteriormente, podem ser fechados com o implante de um novo dente.

Aparelho Invisível 

O tratamento com os alinhadores transparentes, ou chamado aparelho transparente, começa com uma avaliação, na qual os dentistas avaliam a documentação ortodôntica do paciente e concluem o diagnóstico – que diz se o caso é tratável por nossa tecnologia.

Há mais de 10 anos no mercado, os alinhadores invisíveis tem se popularizado cada vez mais nos consultórios odontológicos, oferecendo mais praticidade para os pacientes. 

Os alinhadores são impressos em uma impressora 3D no formato exato dos dentes, cada um com uma nova posição que os dentes devem ocupar. 

A partir disso, os dentes se movimentam por etapas – cada fase de alinhador deve ser usada por duas semanas. Com isso, os espacinhos vão se fechando gradualmente.

Normalmente, os diastemas se fecham rápido durante a jornada de aparelho invisível e é possível ver resultados em apenas 1 mês de tratamento.