Últimas Notícias

Qual é a importância da melatonina para a saúde?

Todos já ouvimos muito sobre a melatonina, mas na realidade, muitos de nós não compreendemos direito o que é ou qual é a sua real importância para a saúde e o funcionamento do organismo.

A melatonina é um hormônio que é produzido na glândula pineal, localizada no cérebro na mesma direção dos olhos. A sua principal função no corpo é regular o ciclo circadiano. Ou seja, esta pequena glândula, é responsável por regular o sono e nosso tempo de descanso.

Apenas esta apresentação dispensa mais informação, o sono é parte crucial da saúde humana. A sua produção se dá geralmente no fim do dia, quando a quantidade de estímulos sonoros e a luminosidade já é baixa.

A produção desse hormônio é o principal motivo que os especialistas pedem que a pessoa evite ao máximo exposição a celulares, telas de computadores e TVs, nos momentos que antecedem o sono.

Além de regular os ciclos de descanso, também possui diversas funções que colaboram nos mais diversos aspectos da vida humana, age diretamente em processos do corpo humano que são muito importantes. Previne doenças cardíacas, câncer de mama, próstata, diabete e controla os níveis de açúcares e insulina na corrente sanguínea, contribuindo muito para pacientes diabéticos.

Melatonina e insônia

É mais que sabido pela literatura médica que a principal função da melatonina é trabalhar regulando os ciclos do sono, ela não só traz a sensação de cansaço e vontade de dormir no fim do dia. Ela também regula a qualidade de sono e o tempo necessário para que haja a completa recuperação do corpo.

Por mais que seja um hormônio extremamente importante para o funcionamento e a saúde do corpo humano, a sua produção não é uniforme a vida toda. Conforme o tempo vai passando, e a pessoa fica com mais idade, a sua produção vai ficando mais fraca.

Por este motivo, crianças e bebês dormem muito mais que idosos, e os casos de insónias e distúrbios do sono são muito mais comuns em adultos e pessoas de meia-idade.

Ação antioxidante

Além de suas ações que geram o sono e por consequência eliminar diversas toxinas, a melatonina possui também uma propriedade antioxidante. Que age diretamente no sistema imune o fortalecendo.

De um modo que previne e controla doenças psicológicas que são causadas pelo sistema nervoso central.

Essa sua propriedade e sua aplicação é muito utilizada para tratar doenças como, glaucoma, enxaqueca, retinoplastia, degeneração muscular e alzheimer.

O tratamento com melatonina também é utilizado por pacientes que estão no processo de quimioterapia ou radioterapia, pois, ajuda a combater os efeitos colaterais dos processos que são extremamente agressivos.

Reduz acidez 

A melatonina possui, diversas funções no corpo humano,  no estômago ela age em mais de uma maneira.

Primeiro age diretamente na produção do ácido estomacal, reduzindo consideravelmente a quantidade. Após a queda de produção ela também afeta o modo como o corpo lida com o óxido nítrico, que induz o relaxamento do esfíncter, de modo que diminui bastante o refluxo gástrico.

Ajuda no combate a depressão

A depressão há muito foi considerada a doença do século, sendo muito comum, afetando todas as classes sociais, sem fazer distinção de cor, nome, credo ou qualquer outra coisa que nos rotule socialmente.

Ela não colabora com o combate das depressões crônicas, age somente sobre um transtorno afetivo sazonal, por mais que não seja tão grave, pois possui sua origem em fatores externos, ainda assim é considerado uma depressão.

Geralmente acontece nos meses de inverno em países que possuem as estações muito bem definidas diferente do Brasil.

Esse é um transtorno que provoca o sentimento de tristeza, sono em excesso, aumento no apetite e falta de concentração.

Isso acontece em países em que durante o inverno o sol tarda em nascer e se põe muito mais cedo. Esse efeito acontece, pois, pessoas que vivem nestas condições não possuem tanto contato com o sol, que sua luz carrega uma série de vitaminas e substâncias que estão diretamente ligadas à qualidade de vida e felicidade.

Dentre essas substâncias que a população é privada, está a melatonina e serotonina, e a ingestão externa em quantidades reguladas e prescritas, pode solucionar este problema. O processo de diagnóstico desta condição é muito simples, mas não deve ser feito em casa, por isso, é indicado que procure um apoio profissional.

Para que a doença seja constatada, não é preciso exames elaborados que envolvam softwares para laboratório.

Caso você deseje ingerir esta substância de modo que não seja por medicação, há diversos alimentos e atitudes que podem solucionar o problema, como, por exemplo:

  • Banana;
  • Nozes;
  • Arroz integral;
  • Laranja;
  • Diminuir a sua exposição a luzes durante a noite;
  • Se expor ao sol.

Vale lembrar que tudo em excesso faz mal, e as doses nunca devem ser em altas quantidades.