Publicidade
FENICS 2108 - RESERVE JÁ,JÁ, SEU STAND!  
Inicio » Minas Gerais » Sul de Minas » MG – Para economizar, prefeito vira gari em Minas Gerais: “Sou da roça, vai ser moleza”

MG – Para economizar, prefeito vira gari em Minas Gerais: “Sou da roça, vai ser moleza”

Para economizar nos gastos com o pagamento de horas extras dos funcionários de serviços de limpeza no município, o prefeito de Itanhandu, no Sul de Minas Gerais, Joaquim Arnoldo Evangelista Silva (PT do B), 58, o Joaquim do Milho, assumiu as responsabilidades pela limpeza da rodoviária local nos fins de semana.

Segundo o prefeito, com a dispensa das horas extras da funcionária responsável pela limpeza da rodoviária, sua remuneração mensal vai cair de algo em torno R$ 1.300 para R$ 823.

Para economizar nos gastos com o pagamento de horas extras dos funcionários de serviços de limpeza no município, o prefeito de Itanhandu, no Sul de Minas Gerais, Joaquim Arnoldo Evangelista Silva (PT do B), 58, o Joaquim do Milho, assumiu as responsabilidades pela limpeza da rodoviária local nos fins de semana.
Para economizar nos gastos com o pagamento de horas extras dos funcionários de serviços de limpeza no município, o prefeito de Itanhandu, no Sul de Minas Gerais, Joaquim Arnoldo Evangelista Silva (PT do B), 58, o Joaquim do Milho, assumiu as responsabilidades pela limpeza da rodoviária local nos fins de semana.

“A Adriana da rodoviária [Adriana Bertolino Souza], uma moça muito boa por sinal, reclamou, disse que tinha um filho para criar, mas não tem jeito. Estou impedido por lei de manter o pagamento das horas extras”, diz. A reportagem  não localizou a funcionária para comentar a decisão do prefeito.

.

Joaquim do Milho explica que os gastos com pessoal alcançaram 54% da receita do município no mês passado, superando em três pontos percentuais o permitido pela legislação, de 51%.

A estimativa da prefeitura é que haja queda de 15% no orçamento do município em 2015, na comparação com a receita de R$ 26 milhões obtida no ano passado. O montante de janeiro a maio, de R$ 14,5 milhões em 2014, caiu para R$ 12,7 milhões neste ano. Com isso, segundo Joaquim do Milho, a saída foi enxugar a folha de pagamento.

Assista ao vídeo do prefeito limpando a rodoviária local

Horas extras só nos serviços essenciais

“Tá difícil. A tarefa do prefeito está igual à de um compadre meu. Pra tirar, o mato tá alto. Pra roçar, tá baixo. Pra botar fogo, tá molhado”, afirma o prefeito.

O município de 14 mil habitantes, explica, tem 620 funcionários e a prefeitura vai manter as horas extras somente em serviços essenciais, como na área de saúde.

“O coveiro e o motorista da ambulância, por exemplo, aí não tem jeito. Eles continuarão trabalhando de acordo com as necessidades”, diz.

“Da rodoviária, nos fins de semana, eu vou cuidar”, diz Joaquim do Milho. “Se quiser me encontrar, é só ir lá.”

O prefeito diz que, aos sábados, domingos e feriados, das 5h às 7h, está lavando os quatro banheiros da rodoviária, o salão onde estão instalados os guichês, as lanchonetes e as ruas no entorno do prédio.

“Sou da roça. Estou acostumado a trabalhar muito, desde criança. Vai ser moleza.”

Ex-caminhoneiro e agricultor, Joaquim do Milho, como prefere ser chamado, foi vereador por um mandato no município na década de 1990 e assumiu como prefeito em 2013.

No feriado de Corpus Christi, a cena do prefeito varrendo a rua em frente à rodoviária foi registrada em vídeo que circulou pela internet. No vídeo, Joaquim do Milho aparece de chapéu e bem à vontade fazendo a faxina.

“Se for necessário, não só varrendo, mas fazendo outro serviço que eu sei fazer, vou continuar dando uma mãozinha para o município economizar”, afirmou.

Leia Também

Saiba como conhecer Nova York fazendo um cruzeiro pelo rio que corta a cidade

* Por: da redação - 16 de agosto de 2018. Saiba como conhecer Nova York …

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *