Empréstimo Consignado para aposentados, pensionistas do INSS

Últimas Notícias
Casa das Apostas Online Betway

Coluna do Adilson Cardoso – Fogo debaixo do umbigo

Coluna do Adilson Cardoso – Fogo debaixo do umbigo

Bem antes do nascimento das piriguetes, em todas as partes do mundo já havia gente dando trabalho e outras coisas. Mas nenhum registro se compara as façanhas da filha mais moça do senhor Efêdido Barata e dona Janota Pataquada. Ava Gina, batizada por uma tia que morava em São Paulo que  era fã de Ava Gardner e Gina Lolobrigida. Não se sabe ao certo ou não querem antecipar demais o fogo da menina, mas com mais ou menos dez anos de idade ela brincava de cavalo de pau, só que com uma diferença, o cabo de enxada não saia do lugar, era seus fundilhos que deslizavam subindo e descendo. A mãe achou que fosse coisa de “pomba-gira” e mandou fazer um despacho, encheu a encruzilhada de vela preta, cachaça e farofa, no dia seguinte Ava voltava ao seu brinquedo ainda mais sedenta, para o desespero da mãe. O pai foi longe buscar uma benzedeira que no currículo  já havia tirado encosto de pinga, alma montada nas costas de caminhoneiro, voz na cabeça de Esquizofrênico e por aqueles dias, expulsara de casa um velho que há tempos morrera, mas não largava em paz a viúva. Chegou defumando a casa, mandou a menina tirar a roupa e deu-lhe banho de arruda com guiné e raspa de tronco de Pau-Preto onde assombração aparece em Sexta-feira santa, dizia coisas que só ela entendia, pulava e  peidava. A sessão durou duas horas contadas no relógio dos pais que ficaram  do lado de fora. “A menina vai dormir até amanhã, dei a ela um chá de maracujá do mato e soprei fumaça de maconha cascavel  no seu nariz, amanhã estará curada!” disse a benzedeira com voz carregada e olho vermelho. No outro dia Ava Gina acordou pedindo comida, a larica era medonha, “Dá um copo de café com leite e bolo? Mãe frite um ovo e me dê com um pão, esquente minha janta!” Comia com voracidade e falava com a boca cheia. “Filha vá com calma, que fome é esta?” Dizia a mãe satisfazendo o desejo da filha. Após comer até o suor escorrer na testa, a menina  saiu para fora, olhou o tempo vigiada de longe pelos  pais e saltou sobre o cabo de enxada, Caiu sozinha e gemendo com os pelos do corpo eriçados uma hora depois. O jeito foi ligar para a tia que morava em São Paulo, a história parecia estranha, mas um Psicólogo poderia resolver o problema, disse a mulher pelo telefone, dias  depois Ava Gina estava abobada sob os arranha-céus e buzinas intermitentes observando tudo. Os pais se preocuparam, muitos meses sem noticias até  a  tia ligar para dizer  que eles se acalmassem. Era questão de tempo e da vontade de Deus,  a sobrinha passara por todos os especialistas, por ultimo um Padre exorcista e um Pastor evangélico, estava declarado que  nada havia na cabeça dela que pudesse  distorcer a personalidade. “A coisa é o fogo debaixo do umbigo!” O lugar em que os pais dela moravam era pequeno, mas as línguas eram imensas, poucos sabiam ler, porém se fosse para descrever a vida do outro em pormenores qualquer seria PHD. Assim Efêdido Barata e Janota Pataquada, arrumaram as tralhas e esperaram a noite cair, quando ela caiu um pouco mais,  por volta da meia-noite um caminhão de mudanças partiu dali sem deixar endereço. Ava Gina em São Paulo precisou mudar de brinquedo, já que o cabo de enxada havia ficado em casa.

Adilson Cardoso
Adilson Cardoso

Quer saber as notícias do Jornal Montes Claros em primeira mão? Siga-nos no Facebook @jornamoc, Twitter @jornalmoc e Instagram @jornalmoc.