Publicidade FENICS 2108 - RESERVE JÁ SEU STAND!  
Coluna de Adilson Cardoso
Inicio » Colunistas » Adilson Cardoso

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Pesadelos

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Pesadelos Chovia forte com ventos em fúria, escuridão intensa. Raios explodiam no céu revelando aquela cena dantesca.  Uma velha esquelética cambaleava vestindo um molambo negro, com seus braços secos feito galhos de árvores mortas arrastava um caixão, o ruído era estridente sobre as pedras. Condenada eternamente a levar seu próprio corpo para a cova, ela gemia …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Olho por olho (Memória de um delinquente)

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Olho por olho (Memória de um delinquente) Acordei com o “Berrado”  me cutucando, estamos nus, algemados os pés e as mãos um no outro. Ele tem  um corte profundo na testa, escorre  sangue sobre  seu olho esquerdo que  está  com um enorme hematoma e não se abre. Seus lábios estão inchados, na boca entreaberta  se vê  pedaços de dentes se despontando, ele tenta  dizer alguma …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Consequências irreversíveis

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Consequências irreversíveis Avelino, Carlaile e Boqueira interceptaram o ônibus fora do ponto, ameaçaram com suas armas de brinquedo e repetiram o bordão do crime, “Se alguém fizer um movimento morre!” Uma senhora encolheu-se em posição fetal atrás do motorista, que transtornado também queria se encolher, pediu para fumar um cigarro, o ladrão irônico disse a ele …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Coisas que não contei no outro diário

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Coisas que não contei no outro diário Nunca tive sorte na vida. Acho que algumas pessoas nem deveriam ter nascido, ou então nascer e morrer antes de sentir as dores deste mundo.  Somos seis lá em casa, poderia ter sido sete. Mas uma irmã morreu com sete dias, dizem que o mal dos sete dias é …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Ocorrências Policiais

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Ocorrências Policiais Ocorrências Policiais Do lado de fora não parecia um puteiro. Um muro comum pintado de verde claro com a caixa dos Correios num tom mais escuro, por cima telhas coloniais envernizadas. A casa tinha dois andares e muitas janelas, denunciando a presença de vários quartos. Uma senhora com cara de vovozinha que conta …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Testemunho de Fé

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Testemunho de Fé Éramos quatro, três meninas e um garoto, aliás, ainda somos, apesar da distância, estamos todos vivos, graças a Deus! Três Marias, acho que alguém da minha família gostava do romance de Raquel de Queiroz, mas éramos Marias diferentes daquelas. Maria Milho, Maria Mandioca, Maria Moranga e José do Espírito Santo. A explicação …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Mãos que tocam na Hostia

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Mãos que tocam na Hostia Ele acordava bem antes dela, sabia sua rotina. De uma fresta daquela torre a observava, tinha anotado na agenda as cores das calcinhas que ela usava em cada dia da semana e cronometrado todos os seus horários. Às seis horas fazia ginástica na Bicicleta ergométrica, dez minutos depois ingeria alguma …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – O próximo da lista

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – O próximo da lista O medico é Deus, assim eles se acham, mas quando se vestem de branco e dependuram um estetoscópio no pescoço, grande parte das pessoas concorda. Foi assim que Zico Nunes saiu pensando depois de receber alta de um hospital, onde estivera se tratando de ferimentos. — Foram sete dias porque o …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Poucos minutos de televisão

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Poucos minutos de televisão Cartazes colados nos postes, balas perdidas encontradas em cabeças inocentes. O Rio de Janeiro tomou conta da televisão, viva a ascensão da mídia, simples mortais viraram repórteres, vídeos gravados nas ruas, em becos e em matas, sangue e horror em quadros obscenos. A intervenção vinha se movendo sob a batuta do …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Wagner Black

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Wagner Black Realizando um sonho de conhecer o Rio de Janeiro, após ser premiado no “Legal Cap” Wagner Black passeava pela Praia de Copacabana, com o celular ligado fazia vídeo das bundas expostas naquela imensidão de areia. De repente um alvoroço, aquela moça linda, apavorada com os seios nus fugia do rapaz musculoso de corpo …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Homens aparentemente tranqüilos

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Homens aparentemente tranqüilos Homem supostamente por não aceitar o fim do casamento coloca fogo na casa onde estava trancado com a mulher e duas filhas. Tragédia que abalou a pequena cidade de Januária (Norte de Minas Gerais) e outros lugares que receberam a noticia. Entrevistados que conheciam a rotina da família, disseram não entender aquela …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Entre outras coisas

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Entre outras coisas O Rio de Janeiro continua lindo. Alô Michel Temer a que horas o couro come? Pezão ainda é o Governador, mas não sabe qual é sua verdadeira função, recebeu um roteiro para decorar e disse apenas abobrinhas. Cabral por enquanto só fora informado sobre seus crimes e por alto quanto ficará trancado, …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Todo conflito é Psicologicamente Poético

Coluna do Adilson Cardoso – Todo conflito é Psicologicamente Poético Levante-se com paixão de vida… Bem cedo para sentir o frio da aurora mastigar a madrugada. Se arrepie com o hálito que vem do leste e sorva uma gota dos últimos orvalhos, respire  fundo olhando nos olhos do infinito. Em volta só  o silêncio que habita as horas. Deixe a fantasia …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Denuncia anônima

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Denuncia anônima Era só ele passar que a turma lhe atirava pedras. Dentre outras alcunhas; era chamado  de Defunto, Arrombado, Catapora, Seboso e Zé ruela. — Dona Altina, qualquer dia os meninos do beco vão passar o cerol no seu filho! – Avisou “Gato Sujo” um vizinho da casa ao lado. A mãe chorava com os joelhos …

Leia Mais »