Inicio » Colunistas » Adilson Cardoso

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Em troca da Janta

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Em troca da Janta — Fala seu nome! — José Miséria da Silva! — E a senhora? — Maria Miséria da Silva doutor! — E vocês ai? Nome e sobrenome! Rápido que não tenho o dia todo! — Seu delegado começando por aquele cabeçudinho ali, até naquela mais espichada é Zé, Lucidio, Malaquia, Rigober, Lupicina, …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Manifesto de Ladrões

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Manifesto de Ladrões A primeira página do jornal estampava  na banca, “Assaltante rouba bolsa de prostituta no centro da cidade”, na segunda página outra noticia, “Bandido leva celular de estudante em ponto de ônibus”. A página que deveria ser de cultura está ocupada, “Homem de capuz assalta policial que dava voz de prisão a outro …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – O Homem e a cadeira

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – O Homem e a cadeira Ninguém sabe ao certo de onde viera aquele homem. Escondia os olhos atrás dos  óculos escuros e não usava da voz para cumprimentar as pessoas. Balançava a cabeça ou a mão que estivesse desocupada. Preciso dizer também que tinha barbas e cabelos longos, a bota do pé esquerdo parecia mais …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Ao som de Elvis Presley

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Ao som de Elvis Presley É um caso verídico. Algo que poderia ser um conto burlesco ou uma crônica caótica de uma pessoa que hoje aos sessenta e oito anos, relata tudo em miúdos para ser personagem de livro e garantir a aposentadoria que a Previdência Social negara por diversas vezes. Terciana Moreira, mãe de …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Delírios de Greta

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Delírios de Greta A porta se abriu mais uma vez como dentes que rangem de dor. Na memória a velha e sua voz amargurada berrando demônios em nomes dos Santos, pedia que a morte antecipasse a chegada, vomitava seus horrores intrínsecos, esbravejava com a neta, a pequena criança pálida de olhos secos e aterrorizados, apenas …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – O cara errado

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – O cara errado Preste atenção que não vou repetir uma só palavra!  Quero cem mil reais, você vai levar o dinheiro em notas graúdas dentro de uma bolsa grande, daquelas camufladas do exército. O ônibus para Salinas sairá por volta de onze e trinta, estarei lá dentro com sua passagem, se ele der a partida …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Fora do Jogo

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Fora do Jogo Quando era criança e até um tempo pós adolescência, a exemplo de grande parte dos seres, estereotipava as pessoas, não era com maldade interior, talvez por ingenuidade. Fanático com filmes de Kung Fu, às vezes passava madrugadas inteiras vendo os homens de olhos puxados voarem batendo em pés de coqueiros, dando saltos …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Desfecho Radical

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Desfecho Radical Zito P.G. P, ninguém jamais esquecerá esse nome. As trapalhadas que fazia eram únicas, na Vila do Canudo todos o conheciam, só não ganhava para vereador porque gozação ali não dava votos. “Basta de palhaços na Câmara de Vereadores!” dizia Zeca Bigode o dono de um puteiro de mulheres baratas e desarrumadas da …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Nem Céu nem Inferno

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Nem Céu nem Inferno A fome de conquista das religiões sangrava em todos os continentes, a cada dia novos templos se erguiam, portas eram abertas  e  letreiros pintados. Tudo em nome de Deus, em nome de uma salvação da alma, mas com um pagamento terreno de uma porcentagem mensal imposta a todos fieis. Dentro da …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Descobertas Tardias

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Descobertas Tardias Era como irmãos siameses, viviam grudados desfrutando da vida. Farras intermitentes eram um dos artigos inalienáveis do estatuto da esbornia, rezado por eles.  Mario Farra, Branquelo, Tiriboy e Cascão. Cresceram juntos morando no mesmo lugar do bairro das Pedreiras, Mario  era o galã, cabelos pretos e escorridos até a altura dos ombros, tinha …

Leia Mais »