Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Tranforme Dotz em doação para crianças e adolescentes com câncer

Montes Claros – Tranforme Dotz em doação para crianças e adolescentes com câncer

Montes Claros – Tranforme Dotz em doação para crianças e adolescentes com câncer

Tranforme Dotz em doação para crianças e adolescentes com câncer
Tranforme Dotz em doação para crianças e adolescentes com câncer

 

Sabia que clientes do Banco do Brasil podem contribuir com o tratamento de crianças e adolescentes com câncer por meio da doação de pontos? Isso mesmo. Estamos falando do Programa Ação Infância e Vida, que visa, dentre outros eixos, estimular doações, sejam elas em valores monetários ou por meio da troca de pontos Dotz, Ponto pra Você e Ponto pra sua Empresa – através da Livelo – e Smiles. Os recursos são direcionados integralmente à Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência às Crianças e Adolescentes com Câncer – CONIACC, que por sua vez repassa os valores às mais de 50 instituições filiadas, como a Fundação Sara.

“Em 2016 nós fomos beneficiados com mais de 12 mil reais da campanha, o que nos permitiu custear despesas com medicamentos e exames de alto custo que não são disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde. Esperamos que em 2017 possamos novamente contar com a adesão da sociedade à campanha, a fim de que possamos continuar a oferecer todas as possibilidades de cura aos nossos assistidos.” Explica a gerente geral da Fundação Sara, Silvana Amorim.

A campanha começou em 15 de agosto e vai até 15 de outubro, no entanto, os mecanismos de doação ficarão disponíveis após este período, com exceção da Smiles, que terá período determinado para doações. Para mais detalhes sobre a Ação Infância e Vida acesse bb.com.br/infanciaevida.

Sobre a CONIACC

A Confederação Nacional das Instituições de Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC representa as organizações de apoio à criança e ao adolescente com câncer espalhadas por todo o Brasil. Atualmente conta com 53 filiadas.

A CONIACC propõe uma nova abordagem do papel das Instituições de Assistência às Crianças e Adolescentes com Câncer, ancoradas por uma visão de futuro, reconhecendo a responsabilidade de sua liderança em proporcionar melhor qualidade de vida e dignidade, minimizando a dor e o sofrimento dos pacientes portadores de câncer infantojuvenil.

Sobre a Fundação Sara Albuquerque 

A Fundação Sara nasceu da convivência que os pais da pequena Sara tiveram com a dor e a esperança durante a sua doença, entre 1996 e 1997. O alto custo do transplante de medula fez com que a família, amigos e colegas lançassem uma campanha para arrecadação de recursos. A pequena Sara acabou falecendo antes do transplante, em novembro de 1997. Com parte do dinheiro arrecadado ainda em mãos, os pais da menina decidiram usar os recursos para auxiliar famílias que passavam pela mesma dificuldade. Dessa forma, há 19 anos foi instituída, em Montes Claros, a Fundação Sara Albuquerque Costa para receber e assistir crianças e adolescentes com câncer e seus acompanhantes. Para expandir os serviços de assistência em todo o estado de Minas Gerais, inaugurou-se, em julho de 2010, uma unidade em Belo Horizonte.

Além de ser uma casa de apoio para quem vem de outros municípios, ou até mesmo de outros estados, em busca de tratamento em Montes Claros, a entidade atua na promoção de conhecimentos, por meio do Centro de Estudos Sara Albuquerque Costa – CESAC, com objetivo de capacitar os profissionais da saúde e alertar pais, professores e todos que convivem com crianças e adolescentes para que estejam alertas a qualquer alteração persistente na saúde dessas crianças e adolescentes.

Outro compromisso da entidade é na contribuição na melhoria do tratamento nos hospitais. Para o presidente da Fundação Sara, Álvaro Gaspar Costa, que perdeu a filha de quatro anos com uma leucemia grave, seu desejo é ver Montes Claros se destacando na cura do câncer infantojuvenil, como acontece em grandes centros de referência no Brasil e no mundo. “Não adianta apenas diagnosticar precocemente, oferecer assistência para as famílias e investir na qualificação de profissionais. Se o tratamento não for de qualidade, tudo isso que construímos antes perde o sentido”, destaca.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).