Inicio » Internacional » América » EUA – Maior ataque a tiros dos EUA deixa 58 mortos e mais de 500 feridos

EUA – Maior ataque a tiros dos EUA deixa 58 mortos e mais de 500 feridos

EUA – Maior ataque a tiros dos EUA deixa 58 mortos e mais de 500 feridos

Pelo menos 58 pessoas morreram no domingo à noite, quando um homem abriu fogo contra a multidão que assistia a um festival de música em Las Vegas, no que já é considerado o mais violento tiroteio da história dos Estados Unidos. Mais de 500 pessoas foram hospitalizadas. As circunstâncias do massacre, que aconteceu pouco depois das 22h locais (2h de Brasília), ainda são incertas. O Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque.

EUA - Maior ataque a tiros dos EUA deixa 58 mortos e mais de 500 feridos
EUA – Maior ataque a tiros dos EUA deixa 58 mortos e mais de 500 feridos

 

 

O autor do tiroteio, identificado como Stephen Paddock, de 64 anos, abriu fogo a partir do 32º andar do hotel Mandala Bay, que fica na avenida central Las Vegas Strip, onde acontecia a terceira e última noite de um festival de música country. Segundo a polícia, ele se matou antes da chegada dos agentes.

O xerife Joseph Lombardo indicou que Paddock era um morador da cidade e que a polícia procura a mulher que o acompanhava para um interrogatório.

EUA - Maior ataque a tiros dos EUA deixa 58 mortos e mais de 500 feridos
EUA – Maior ataque a tiros dos EUA deixa 58 mortos e mais de 500 feridos

 

O cantor Jason Aldean, que conseguiu escapar, estava no palco quando os espectadores ouviram as primeiras rajadas de tiros. Em poucos segundos, a música parou de tocar, segundo um vídeo divulgado nas redes sociais.

 

 

No vídeo, uma mulher fala “abaixa, fica abaixado” pouco depois da interrupção da música, e um clima de confusão domina o local. Menos de um minuto depois é possível ouvir novos disparos.

 

“Temos dois policiais que estão no hospital, um em estado crítico, o outro, com ferimentos leves”, relatou Lombardo.

Em maio, um atentado a bomba na saída de um show da cantora Ariana Grande em Manchester, na Inglaterra, deixou 22 mortos e 116 feridos.

O presidente Donald Trump enviou condolências aos familiares das vítimas do “terrível” tiroteio.

 Como fogos de artifício 

“Estávamos assistindo ao show, muito bem, quando ouvimos algo que parecia com fogos de artifício”, contou Joe Pitz ao jornal “Las Vegas Sin”.

“Imagino que era uma arma automática, porque, na verdade, pareciam fogos de artifício até que começou a comoção do lado do palco do Mandalay Bay, com pedidos por médicos e Aldean deixando o palco”, acrescentou.

Monique Dekerf disse à rede CNN que ouviu “o que parecia vidro quebrando”.

“Olhamos para os lados para ver o que estava acontecendo e escutamos o pop, pop, pop. Você pensa que acabou por um momento, porque não havia mais tiros e, de repente, começa de novo”, completou.

Um homem contou que viu um homem ferido no pescoço “e, depois, as pessoas começaram a cair como moscas”.

Uma mulher identificada apenas como Christie declarou à emissora KLAS que, ao ouvir os tiros, correu com o marido para o carro. Quando chegaram ao estacionamento, encontraram um homem ferido, que pediu ajuda. O casal levou algumas pessoas para o hospital.

“Esta noite vai além do horrível. Ainda não sei o que dizer, mas gostaria de informar a todos que minha equipe e eu estamos seguros. Meus pensamentos e orações vão para todos os afetados esta noite. Meu coração está partido que isto tenha acontecido com qualquer pessoa que estava aqui para ter uma noite divertida”, escreveu Aldean no Instagram.

O tiroteio aconteceu sete meses após uma ação similar que deixou um morto e um ferido na mesma Las Vegas Strip.

Também recorda o ataque de junho de 2016 contra uma boate gay de Orlando, quando um homem abriu fogo e matou 49 pessoas. Outras 50 ficaram feridas.

O site Gun Violence registra uma estatística de 272 grandes tiroteios nos Estados Unidos no decorrer do ano, sem considerar o de domingo.

 

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).