Últimas Notícias

Coluna do Adilson Cardoso – Eleições na Taboca das Beiradas

Coluna do Adilson Cardoso – Eleições na Taboca das Beiradas

O milho vira pipoca na Taboca das Beiradas, candidatos inquietos vão fazendo suas firulas para convencer o eleitor. Taboca é um lugar bonito de se vê, mas longe de se achar. Se alguém perguntar por quê? A resposta vem de bate pronto, o nível elevado de corrupção que rege a cidade. Os próprios politiqueiros pagaram fortunas para seus colegas, corruptos de Brasília, retirar o lugar, do mapa do Brasil. Com isso, as verbas destinadas são os próprios parlamentares autores dos projetos que buscam em seus carros particulares ou aviões fretados com seguranças pagos pelo município,  chega em dinheiro vivo, já etiquetado e separado nominalmente. Nos atos de posses, tudo é  combinado antes, comprovantes de prestações de contas da gestão anterior devem ser aceitos e aprovados sem questionamentos. Assim, enquanto os mesmos grupos políticos se revezam há séculos no poder, os mesmos grupos de paupérrimos vendedores de votos, se perpetuam descamisados, desnutridos, desiludidos e fodidos. A população nos dias atuais é de 104.420, mas o gráfico não contabiliza a debandada da população miserável por culpa da mortalidade materna, infantil e masculina por falta de condições de sobrevivência. Ainda assim, por mais esdrúxulo que possa parecer, os dias mais felizes para estes “bonecos manipuláveis” são esses que antecedem as eleições. Cada reunião é churrasco com pinga a vontade, Sertanejo Universitário, Funk, abraços e tapinhas nas costas. Um candidato foi até a casa da dona Maria de Jesus e entrou quase tapando o nariz, vendo aquelas paredes sem reboco e aquele banheiro com uma cortina de pano, servindo de porta. No final da visita entregou  a pobre senhora um par de dentaduras e, disse  sorrindo para o celular do assessor que gravava tudo;

 “No meu governo a dona Maria e o seu Joaquim vão poder mastigar uma pele de porco frita, roer uma lasca de rapadura, e triturar para chupar o tutano, um osso de pé de frango!.

 É implantado um estado de Utopia com uma comunhão servil e burlesca, a secular parceria, entre “montador e montaria” ou “bota e bunda”. Por ordem deles mesmos e acatado em regime urgente e único pelo Tribunal Regional Eleitoral de Taboca das Beiradas, fica determinado que para 2018  apenas 02 partidos concorram  às eleições. Mas Julinho Rabo Preso da Silva, de uma das legendas que ficaram de fora, ameaçou  botar a boca no trombone, parecia que as coisas mudariam, se ouviria o grito de liberdade, a mão forte socando o ar, dizendo chega. Mas sutilmente na calada da noite, o então revolucionário foi chamado para uma confraternização na casa do Prefeito, chegou de orelha em pé, sarrabieiro com  pé atrás… Todavia, era uma pomposa recepção de  chefe de estado que o aguardava com;  whisque 150 anos em copo com seu nome gravado e,  uma modelo Brasiliense que ficara pelada numa revista, lhe entregando  um singelo envelope com alguns mil Euros. Julinho Rabo Preso da Silva sentiu que estava equivocado e  viajou com toda a sua família para a Indonésia, com direito a levar  outros acompanhantes que outrora também não estavam  satisfeitos com aquelas manobras. Até as malas foram arrumadas pela cúpula do prefeito. “Pode gastar seu Julinho, gaste sem medo de ser feliz, afinal de contas, quem está do lado do povo está do lado de Deus!” Bilhete deixado junto ao dinheiro, pelo atual presidente da Câmara que tenta sua vigésima reeleição. Mas a felicidade não está apenas com a família Rabo Preso e convidados. Seu Geraldinho Mancó ganhou uma muleta nova, Felizberto Galo Cego foi presenteado com uns óculos Do Shopping Popular, Pedrinho Cirrose foi agraciado com um dia de bebida grátis no Bar do Peculato. Lisiane filha de Manim Puxa-saco,  está transbordando de alegria com o celular novo. Todos felizes e compromissados com seus candidatos. “Nem puta dá de graça!” Alguém cochichou mandando pegar  a copia do titulo de eleitor de Todo mundo. É interessante findar dizendo que nas malas preparadas dos insatisfeitos, continham muitas drogas em seus fundos falsos, no pesar dava mais de vinte quilos. Lembremos que Marcos Acher o Curumim, foi fuzilado por ter entrado com apenas 13 quilos.

 

Adilson Cardoso
Adilson Cardoso