Inicio » Colunistas » Pe. Ezequiel Dal Pozzo » Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Sobre as chegadas e partidas!

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Sobre as chegadas e partidas!

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Sobre as chegadas e partidas!

O tempo é um dom para que nele possamos viver e construir a nossa história, deixar nossas marcas. O tempo está ali, dado a nós. Podemos dizer que sempre há tempo e também que sempre falta tempo. No tempo acontecem as oportunidades, experiências, conquistas, sucessos e fracassos, alegrias e lágrimas. No tempo acontece a vida. No tempo passamos a enxergar, estagnamos ou amadurecemos.  Podemos falar dele através de uma relação de casamento.

Uma mulher dedicou muitos anos de amor e afeto ao seu marido. Sonhou com pequenos sinais de correspondência. Após vários anos toma consciência de que está literalmente sozinha, frustrada e infeliz.  Percebe que está ao lado de alguém que ainda desconhece. Ele não sabe se revelar, mostrar o que é, o que sente, não a valoriza, não lhe dá atenção, nem demonstra amor.  A busca de um relacionamento saudável não deu certo. A mulher precisa encontrar forças para continuar. Passa a cuidar mais de si, visita suas amigas, passa a fazer exercícios, cuida mais de sua aparência, vai ao cinema apreciar algum filme. Percebe que pode encontrar em si mesma e no cuidado de si, muitas razões para viver. Passa a viver mais para si. Dá atenção a si mesma. Não aceita mais viver somente pelos outros.

O marido começa a perceber essa nova postura. Sente-se ameaçado pela dependência e autonomia da mulher e inicia em si um processo de mudança. Ele que sempre recebeu a atenção da mulher, agora começa a olhar a mulher diferente. Começa a notar sua esposa. Preocupa-se com ela, telefona, quer saber se está bem, faz pequenas surpresas agradáveis demonstrando amor e atenção, reserva um tempo para acompanhar a esposa e ir a lugares que são agradáveis à ela. Na verdade, a crise faz com que os dois mudem de postura. Isso faz com que o casamento passe por uma ressignificação.

A ressignificação é um processo muito importante para que a vida flua, em todas as dimensões. Precisamos ressignificar a vocação, o casamento, o trabalho, o curso na faculdade, o relacionamento com as pessoas, nosso jeito de ser e compreender a vida. A chegada significa exatamente encontrar um novo ambiente, respirar novo ar, abraçar a oportunidade de fazer melhor. A partida diz respeito a largar velhos hábitos, abandonar vícios, desvencilhar-se de parasitas que impedem a vida de encontrar novo sabor.

A ressignificação é sempre necessária. A mulher custou a recuperar a estima pelo marido. Considerava que era tarde para recomeçar. Deu muitas chances e nada aconteceu. Agora, parecia que poderia viver sem ele. A mudança nos dois, com o tempo, foi reconstruindo o respeito e o amor entre eles.

Sempre a tempo de recomeçar. Não seja muito difícil na mudança. Saiba largar o que te paralisa no crescimento pessoal e na atenção aos outros, especialmente com que tem o valor mais significativo para você. O tempo é oportunidade. Se permanecer sempre o mesmo poderá ser tarde demais. Viva e seja melhor neste ano novo.

Padre Ezequiel Dal Pozzo é sacerdote da Diocese de Caxias do Sul (RS). Cantor e compositor, lidera o Projeto Despertai para o Amor, de evangelização através da música e dos meios de comunicação. Já lançou 5 CDS e 1 DVD e roda o Brasil com shows musicais, palestras, missas e pregações. Apresenta diariamente a reflexão Despertai para o Amor em mais de 140 rádios de 19 Estados do Brasil e o programa semanal Despertai para o Amor na TV Evangelizar e na TV Nazaré. É editor da Revista Despertai para o amor de circulação trimestral e autor do livro“Beber na fonte do amor: como a misericórdia humaniza e traz verdadeira alegria”(Edições Loyola).

 

Padre Ezequiel Dal Pozzo
Padre Ezequiel Dal Pozzo

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *