Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Coluna Meio Ambiente em Foco de Victor Aragão – Pelas linhas de Kant para compreensão dos ambientes

Coluna Meio Ambiente em Foco de Victor Aragão – Pelas linhas de Kant para compreensão dos ambientes

À luz kantiana, não se pode conhecer a realidade pura, compreende-se apenas o que se chama de fenômeno, ou seja, o elemento na forma como é exposto, estruturado e recebido pelo pensamento. A filosofia de Kant trazia consigo o objetivo de fundar uma reflexão moral universal, que se estendia a tudo e todos, sob a feição necessária, prática e utilizável. Ele não queria somente a moralidade específica de um grupo de indivíduos, continental, essencialmente social ou territorial.

Com as reflexões do filósofo prussiano, o mundo, ou parte dele, deparou-se com o que a Filosofia chama de limites da razão. Segundo a experiência kantiana, René Descartes, Aquino e Blaise Pascal caminharam para além das limitações das perspectivas desse panorama, principalmente ao tentarem evidenciar as existências de Deus, do início de “tudo” e da alma.

A defesa da ideia de que se você age de uma determinada postura, essa deve elucidar uma ação que possa transcender a uma lei universal era uma das marcas de Immanuel Kant. Para ele, deviam ser consideradas as razões pura (relacionada ao conhecimento) e prática (relativa à ação), além das leis da natureza. E há de se ressaltar que a fundação da sua moralidade, advém do racional, de que a moral independe das contextualizações, religiões, experiências individuais e crenças.

Ao longo de milhares de anos, assim como Kant, o homem foi desenvolvendo a sua capacidade de observar e refletir sobre os ambientes, a natureza, as coisas ao seu redor. Tudo o que se via, com o tempo, passou a ser questionado, principalmente, quando não se obtinha uma resposta igual ou semelhante a uma anterior, e por conta disso é que nos dias de hoje, possui-se a considerável facilidade de agir sobre fenômenos e manifestações que o universo nos impõe.

Universalmente, a tomada de consciência sobre a sociedade, seja pelas ideias da doutrina filosófica criada por Auguste Comte (1798-1857), admitindo as ciências experimentais como protótipo ao conhecimento, pelos vitais instituidores Marx, Durkheim e Weber ou mesmo pelas linhas analíticas kantianas, do maior filósofo da era moderna, Immanuel Kant (1724-1804), a Ciência Sociológica entra com enorme potencial, visando estabelecer as essências das condutas do homem e seus fenômenos sobre os ambientes.

 

Victor Aragão
Victor Aragão

 

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *