Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

FaceApp – Evitar o aplicativo é preservar a sua privacidade e seus dados pessoais

FaceApp – Evitar o aplicativo é preservar a sua privacidade e seus dados pessoais

Em mais um daquele movimentos que surgem nas redes sociais e saem arrastando multidões, o FaceApp ressurgiu nos últimos dias mostrando para os internautas o que seria uma possível versão masculina ou feminina. A ferramenta, assim como fez no ano passado, quando liberou a funcionalidade que “prevê” o futuro e mostra a versão do internauta daqui a alguns anos, utiliza de inteligência artificial para produzir as imagens alteradas. 

FaceApp - Evitar o aplicativo é preservar a sua privacidade e seus dados pessoais
FaceApp – Evitar o aplicativo é preservar a sua privacidade e seus dados pessoais

 

É um modelo muito parecido com o utilizado pelos sistemas de reconhecimento facial, as premissas são as mesmas, afinal estamos falando da mesma matéria prima: os rostos de milhões de pessoas.

O debate sobre os limites do uso de inteligência artificial e de ferramentas de reconhecimento facial vem ganhando força em diversos países e estimulado questionamentos sobre privacidade.

Mais recentemente por causa dos protestos nos Estados Unidos, outro debate nasceu, agora sobre como essas tecnologias contribuem de alguma forma para perpetuar o racismo, o que motivou Amazon, Microsoft e IBM a desistirem, pelo menos provisoriamente, de comercializar os seus serviços de reconhecimento facial.

Mas enquanto uma parcela dos cidadãos está atenta aos riscos de uma tecnologia tão invasiva quanto o reconhecimento facial operar livremente em um aplicativo despretensioso como o FaceApp, outra parte está contribuindo para aumentar o já poderoso banco de dados da empresa, que não esconde repassar os dados para terceiros.

O fenômeno FaceApp não é menos pior do que câmeras de segurança que utilizam reconhecimento facial espalhadas em ambientes públicos, como aeroportos, estações de trem e metrô. Somos todos vigiados. Mas, diferente dos dispositivos de monitoramento, com o aplicativo o usuário tem opção de escolher ter sua imagem armazenada e o faz mesmo sem ler os termos de uso, sem pesquisar para quem está fornecendo os dados e qual é o modelo de negócio da empresa.

Para além da investigação que sofre do FBI desde o ano passado e da polêmica envolvendo acusações de racismo por fazer o branqueamento de negros com um filtro que supostamente promovia o embelezamento, o FaceApp precisa ser evitado pelos internautas porque não dá sinais de que a proteção de dados pessoais e a preservação da privacidade dos usuários estão entre as prioridades da plataforma.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *