Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Saúde – Pesquisa aponta que coronavírus pode causar dor, ansiedade e depressão após alta hospitalar

Saúde – Pesquisa aponta que coronavírus pode causar dor, ansiedade e depressão após alta hospitalar

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da UFMG apontou que alguns sintomas da Covid-19 podem persistir por meses e até anos após alta hospitalar. O estudo está observando pacientes internados no Hospital das Clínicas da universidade. 

Saúde - Pesquisa aponta que coronavírus pode causar dor, ansiedade e depressão após alta hospitalar
Saúde – Pesquisa aponta que coronavírus pode causar dor, ansiedade e depressão após alta hospitalar

 

De acordo com os pesquisadores, um grupo de 35 pessoas, que vem sendo acompanhado desde julho, relatou, um mês após a alta, sentir dor e impactos no estado emocional com sintomas de ansiedade e depressão, além de fraqueza nos braços, fadiga e falta de ar. Além disso, cerca de um terço dos pacientes tiveram a capacidade reduzida para realizar esforço físico.  

A professora do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina, Carolina Marinho, informou que alguns desses sintomas podem estar relacionados especificamente ao novo coronavirus. Entretanto, a fraqueza muscular ainda não pode ser confirmada como uma sequela da doença ou se é apenas consequência da imobilidade durante o período de internação.  

Apesar da pesquisa estar no início, já é possível observar que algumas das sequelas da Covid-19 identificadas nesse primeiro grupo de pacientes persistam por até dois anos. Após esse período, são considerados casos crônicos.  

Até o momento, dor, ansiedade e depressão foram os sintomas mais prevalentes entre os pacientes do estudo. A coordenadora do estudo ainda informou que a saúde mental pode sofrer impactos devido ao isolamento durante a internação, visto o afastamento dos familiares e amigos. 

Além disso, os pacientes relatam ainda sentir medo de se contaminar no ambiente do hospital e, quando a doença é confirmada, o medo passa a ser a incerteza da evolução da Covid-19. Já os pacientes que precisam ir para o CTI e não ficam conscientes durante todo o período de internação, podem apresentar lacunas na memória.  

Vale ressaltar que uma pesquisa semelhante foi divulgada pelo Journal of the American Medical Association (Jama) e apontou que dos 143 pacientes italianos analisados, 87,4% relataram persistência de pelo menos um sintoma por mais de dois meses, como fadiga e falta de ar.