Últimas Notícias

Montes Claros – Santa Casa Montes Claros forma 21 novos médicos especialistas

Montes Claros – Santa Casa Montes Claros forma 21 novos médicos especialistas

Montes Claros – A Santa Casa de Montes Claros realizou solenidade para entrega dos certificados de conclusão de Residência Médica aos 21 novos especialistas formados pela Instituição nas áreas de Anestesiologia, Cirurgia Plástica, Clínica Médica, Ginecologia e Obstetrícia, Ortopedia e Traumatologia, além do Programa de Pré-requisito em Área Cirúrgica Básica. 

Montes Claros - Santa Casa Montes Claros forma 21 novos médicos especialistas
Montes Claros – Santa Casa Montes Claros forma 21 novos médicos especialistas Fotos: Hudson Brazil
Durante a solenidade, a coordenadora da Residência Médica da Santa Casa de Montes Claros, Rosângela Lopes Miranda, parabenizou os formandos e ressaltou a evolução dos programas de residência médica do hospital. “Me sinto muito orgulhosa por poder acompanhar de perto o avanço e o desenvolvimento dos programas de residência da Instituição. Acredito que cada um deles tem alcançado a sua principal meta que é o aperfeiçoamento profissional e científico do médico, dessa forma, melhorando a assistência prestada à comunidade”, disse. A coordenadora, que também representou os supervisores e preceptores, também falou sobre a importante atuação dos novos especialistas durante o ano de 2020. “Temos certeza de que as dificuldades foram inúmeras, mas o desempenho e a superação de cada um fez diferença na atuação do hospital no combate à pandemia”, finalizou.

O Programa de Residência da Santa Casa de Montes Claros foi fundado em 1994. Alex Fabiano Rocha Vieira, diretor de Administrativo e RH, destacou que a residência é uma excelente oportunidade para que o formando acompanhe casos reais, experimentando o dia a dia da atuação médica e agregando know-how clínico para atuar no mercado de trabalho em nível de excelência. “O médico que realiza seu trabalho de residência em um ambiente hospitalar de grande envergadura, ao se empenhar e dedicar para a obtenção do título de especialista, ajuda a melhorar o sistema de saúde e a qualidade de vida, pois a população passa a contar com um profissional competente”.

Em 2020, a Santa Casa de Montes Claros teve um total de 81 (oitenta e um) residentes. Atualmente, o hospital  oferece 11 (onze) programas de residência médica (Anestesiologia, Cardiologia, Cirurgia Geral, Clínica Médica, Ginecologia e Obstetrícia, Medicina de Emergência, Nefrologia, Neurocirurgia, Ortopedia e Traumatologia e Pediatria), todos devidamente credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), um Programa de Especialização em Cirurgia Plástica, reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e agora também conta com o Programa de Pré-requisito em Área Cirúrgica Básica.

Durante a solenidade, o superintendente da Santa Casa, Maurício Sérgio Sousa e Silva, agradeceu o empenho e atenção da coordenação da residência, além dos supervisores e preceptores. Ele também falou sobre o ano desafiador que foi 2020 em virtude do novo coronavírus. “Em setembro deste ano o hospital completa 150 anos de atuação. Desde 2014, ano que entrei para a Instituição, pude acompanhar e observar a importância que os residentes têm em relação à assistência ao paciente. Hoje, além de parabenizar e desejar sucesso a cada um dos novos especialistas, quero ressaltar que, mais do que nunca, acredito que o papel primordial dos programas de residência é o de compartilhar conhecimento. Isso é o que mais vale, é o mais importante.

Ao final da cerimônia, o formando Edson de Jesus Rocha, fez um discurso emocionado em nome da turma. Em um trecho da sua fala ele ressaltou: “Aos poucos o que era tido como difícil foi se tornando corriqueiro, graças aos excelentes preceptores que tivemos ao longo de nossa formação. Juntos conhecemos o sentimento de impotência quando tudo que aprendemos, por vezes, não conseguimos colocar em prática. Aprendemos a ser fortes diante da impossibilidade da cura, sofremos quando aquele paciente que criamos vínculo começou evoluir mal, a dor em ter que dar uma má notícia aos familiares. Momentos difíceis, mas necessários em nossa formação. Obrigado, Santa Casa, por nos tornar especialistas”, frisou.