Últimas Notícias

Campeonatos mundiais de coquetelaria ajudam bartenders a alavancar profissão

São Paulo 11/8/2021 – É uma forma de crescer na profissão e abrir novas frentes, como embaixadores de marcas, consultores de bares e cafeterias – Thomas Vieira, da Zamora Company

Foram eleitos essa semana os 3 melhores coquetéis preparados com Licor 43 e café, na quinta edição do Licor 43 Bartenders e Baristas Challenge.

Com a explosão da coquetelaria no Brasil e no mundo, a figura do bartender ganhou relevância no mercado. Bares especializados se multiplicaram e renomados restaurantes ampliaram a carta de bebidas apostando em drinks clássicos e coquetéis autorais. O que surgiu como tendência há uma década, hoje é considerado um pilar da gastronomia.

Hoje, o mixologista está um passo acima do bartender como profissional, já que seus conhecimentos acerca das bebidas atingem o campo científico. Ou seja, muitas vezes, o mixologista é quem cria e desenvolve receitas, já o bartender é o profissional por trás do balcão no dia a dia, encarregado de prepará-las. Mas pode haver casos em que o mixologista faça as vezes de bartender e vice-versa.

A disseminação da profissão no país motivou o surgimento de diversos cursos profissionalizantes. Entender como funciona o bar, o que faz o bartender, diferentes tipos de bartenders, como o clássico e o freestyle e funções distintas atrás do balcão – do bar back ao chefe de bar, são alguns dos tópicos ensinados. Em geral, são profissionais carismáticos que desenvolvem uma relação muito próxima com os clientes no balcão. Magnéticos e criativos, quase sempre têm uma história interessante acerca de um determinado coquetel. Detentores de alta técnica, sabem tudo sobre destilados e fermentados, sobre alquimias e receitas com ou sem álcool.

Esta relação foi abalada por conta da pandemia de Covid-19, mas logo bares e profissionais da coquetelaria passaram a oferecer coquetéis engarrafados por delivery para que a clientela pudesse consumi-los em casa. Com a vacinação em ritmo mais avançado, e as restrições de horário de funcionamento de bares e restaurantes mais abrandadas, espera-se uma rápida retomada do setor.

O setor da hospitalidade é um dos mercados que mais cresce, principalmente o ramo de restaurantes e bares. Segundo dados atualizados da Abrasel (Associação Brasileiras de Bares e Restaurantes) são cerca de 450 mil novas oportunidades de emprego por ano. “Com essa fomentação, nos últimos anos vimos crescer um interesse genuíno para saber onde estão os melhores bares, os melhores coquetéis e quem são os profissionais do ramo. Bartenders ganharam status de pop star e por muitas vezes são figuras reconhecidas midiaticamente”, comenta Marco de La Roche, do site Mixology. 

O evento mundial Bar Convent, que ganhou edições no Brasil está ai para provar a dimensão da importância da coquetelaria e dos mixologistas e bartenders como motores do setor de bebidas. Em 2019, a edição brasileira aterrissou em São Paulo, onde a criatividade e a diversidade favorecem um ambiente maduro que demanda um encontro para representar genuinamente a comunidade da coquetelaria no país. Desde então, o BCB São Paulo tornou-se símbolo para os atuantes do setor e visa reunir, no ambiente presencial e virtual, importantes marcas de bebidas premium, bartenders e profissionais da indústria de bares, restaurantes, varejistas e distribuidores da América do Sul. A nova edição já está agendada para dias 26 e 27 de outubro na Expo Barra Funda.

Por conta da notoriedade e do prestígio que a categoria de mixologista alcançou, proliferam atualmente os campeonatos mundiais de coquetelaria e aqueles dedicados aos melhores bares do mundo, como o World’s Fifty Best Bars, que este ano será realizado em Londres, no dia 7 de dezembro, e representa uma das mais cobiçadas premiações internacionais da categoria.

Marcas seguem incentivando a profissão, caso do Licor 43 que promove anualmente um campeonato onde reúne bartenders e baristas para eleger o melhor drink preparado com Licor 43 e café. Criado para dar mais visibilidade às duas categorias e, ao mesmo tempo, divulgar o potencial do Carajillo 43, coquetel que leva Licor 43, café espresso e gelo na receita, o Licor 43 Bartenders & Baristas Challenge aconteceu globalmente pela quinta vez e, pelo segundo ano, com participação nacional. E como na edição passada, o evento foi realizado de forma on line, o que facilitou para que profissionais de diferentes regiões do Brasil pudessem se inscrever.  

Os ganhadores esse ano foram Thalita Cacho, nascida em Natal e bartender em Recife, em 1º lugar, com o coquetel Tropicália, em 2º lugar, Ricardo Takahashi, mais conhecido como Japores, bartender de São Paulo, com o coquetel 43 Fizz, e em 3º lugar Bruna Ferreira, bartender de Curitiba com o coquetel Even Flow.

Para Tomas Lellis Vieira, gerente da Zamora Company para América do Sul, o principal para os candidatos se destacarem junto aos jurados é a criatividade e a maneira como o café e o Licor 43 são apresentados e combinados. “É importante ter estratégia e prestar atenção em todos os detalhes, entender as regras e lembrar que não é um campeonato tradicional”. Vieira destaca ainda a importância deste tipo de evento parao crescimento das categorias: “Além da visibilidade, é uma forma de se aprimorar nas profissões e abrir outros caminhos, como embaixadores de marcas, consultores de bares e cafeterias e o drink do campeonato pode ser sucesso”.

No ano passado, Genilson Ribeiro, do Rio de janeiro foi campeão com o coquetel Império, feito com o destilado, café espresso, bitter, vinho jerez e uísque The Famous Grouse. “Foi fantástico! Sem dúvida, todos deveriam se entregar pelos menos uma vez, testar seus conhecimentos e suas limitações e ver o quão belo é o trabalho que podem fazer. O ser humano na verdade se procrastina demais e se autodelimita esperando o momento perfeito, mas não existe momento certo, nós é que precisamos fazê-lo”, conta Genilson.

Yan Cevidanes, foi o 2º colocado com o coquetel Cartola, que leva café coado, cachaça envelhecida em barril de carvalho, vermute, Licor 43 e dashes de Angostura Bitters. Bartender do bar Armazém, em Juiz de Fora, Minas Gerais, ele destaca a importância de competições como do B&B Challenge: “O concurso é uma oportunidade para profissionais que fazem seu trabalho com dedicação mostrarem à pessoas de todos os cantos do país que pensam de forma semelhante, obtendo assim o reconhecimento e até mesmo a amizade de colegas da área.”

O mixologista e bartender Laércio Zulu, ou Zulu Bartender, como é conhecido, responsável pelo grupo São Bento Gastronomia e um dos jurados da edição 2021, ao falar sobre os desafios da profissão, comenta que acima de tudo é preciso entender o bar, o serviço e a coquetelaria como algo profissional e não momentâneo e passageiro, priorizando a responsabilidade da boa hospitalidade e a visão de bar como negócio, e não só como um holofote de exibicionismo. “A nossa área é muito ligada àquela coisa de auto afirmação, é muita busca de elogio, é muita cobiça e vaidade, e às vezes há profissionais que acabam esquecendo do cuidado, com a operação do bar, da necessidade de entender que tem que cuidar de um negócio, pensar que cada coquetel tem seu custo, sua ficha técnica, e ao invés se perdem em invencionices”, diz.

Para Zulu é difícil mapear as tendências atuais da coquetelaria no mercado brasileiro:“Sofremos muito reflexo do que acontece lá fora, principalmente as influências européias, como foi o boom do gim tônica, que estourou lá, cresceu no mundo inteiro, e por aqui se estabeleceu por mais tempo, virando uma febre. Por isso é difícil falar de um mercado como o nosso que segue o ritmo internacional, sem contar que o cenário nessa pandemia fez que o mercado se reinventasse por inteiro.”

 

Website: http://www.aurora.com.br