Últimas Notícias

Psicóloga mostra relação da terapia ocupacional com a saúde mental

A terapia ocupacional é uma área que otimiza a atuação de vários profissionais, inclusive os da psiquiatria. A psicóloga Cleuza Canan aponta algumas das contribuições da terapia ocupacional nesse sentido.

De acordo com a Associação Brasileira dos Terapeutas Ocupacionais – COFFITO, o terapeuta ocupacional é um profissional da saúde, com formação acadêmica superior, capacitado para atuar em todos os níveis de atenção à saúde. Com formação generalista, humanista, ética, crítica e reflexiva, tem capacidade para atuar em conformidade com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde e do Sistema Único da Assistência Social, compreendendo as políticas sociais como direito de cidadania, de forma a garantir a integralidade da assistência em todos os seus níveis de complexidade.

A atuação do especialista em terapia ocupacional reverbera no tratamento de uma série de transtornos da psiquiatria. Para esclarecer essa associação, a psicóloga Cleuza Canan, fundadora da Clínica Psiquiatra Cleuza Canan traz informações relevantes sobre o tema.

A origem da terapia ocupacional

As origens da terapia ocupacional estão enraizadas na saúde mental, como a criação da profissão se relaciona com o movimento de reforma da saúde mental do século 20. Esse movimento contou com o apelo à desinstitucionalização antimanicomial dos indivíduos com doença mental, que culminou com a criação de uma rede comunitária de amparo à saúde mental.

Assim, terapeutas ocupacionais e assistentes de terapia ocupacional surgiram como peças chaves da saúde mental comunitária. Hoje, os terapeutas ocupacionais prestam serviços em ambientes comunitários, incluindo:

Centros comunitários de saúde mental
Hospitais psiquiátricos
Centro de Atenção Psicossocial (CAPS)
Unidades Básicas de Saúde (UBS)
Abrigos para os sem-teto
Centros de reabilitação para dependentes químicos.

Como se insere o terapeuta ocupacional dentro da assistência à saúde mental

Como os serviços para indivíduos com doenças mentais mudaram dos antigos manicômios para uma rede de atenção psicossocial (RAPS), também houve uma mudança na filosofia de prestação de serviços, colocando o papel do especialista em terapia ocupacional ainda mais em evidência no que tange ao auxílio do tratamento de transtornos mentais.

O modelo atual de assistência reconhece que a recuperação dos transtornos psiquiátricos é um processo de longo prazo, com o objetivo final sendo a participação plena nas atividades da comunidade. Estas atividades podem incluir a obtenção e manutenção de emprego, ir à escola e viver de forma independente. Nesse contexto, o propósito da terapia ocupacional é aumentar a capacidade do indivíduo de viver da forma mais independente possível na comunidade, ao mesmo tempo em que auxilia os indivíduos com questões psiquiátricas a se envolverem em papéis significativos e produtivos na vida.

Os terapeutas ocupacionais quanto os assistentes de terapia ocupacional são educados para fornecer serviços que apoiem a saúde a saúde mental e física e o bem-estar, o que auxilia a tratar vários transtornos psiquiátricos como, por exemplo, ansiedade, depressão, dependências químicas, esquizofrenia, transtorno bipolar. Tal formação permite estimular em cada paciente atividades da vida diária (AVDs) e atividades da vida prática (AVPs), geralmente desestabilizados pelo transtorno mental.

A atuação da terapia ocupacional na promoção e prevenção da saúde

Estudos da Associação Americana de Terapia Ocupacional apontam que intervenções de terapia ocupacional melhoram a qualidade de vida daqueles que vivem com doenças mentais graves. Tais intervenções podem ser feitas nas áreas de educação, trabalho, treinamento de habilidades, adaptação cognitiva, saúde e bem estar. Exemplos de intervenções de terapia ocupacional em saúde mental incluem:

Avaliação e adaptação do ambiente em casa, trabalho, escola, e outros ambientes para promover o funcionamento ideal de um indivíduo
Fornecer programas educacionais, aprendizagem experimental e gerenciamento de estresse
Trabalhar com pacientes de forma lúdica para desenvolver interesses e atividades de lazer ou profissionais
Facilitar o desenvolvimento das habilidades necessárias para uma vida independente
Oferecer treinamento em atividades da vida diária (por exemplo, higiene e cuidados com a pele)
Conduzir avaliações funcionais e monitoramento contínuo para o sucesso nos trabalhos.
Avaliação e tratamento para déficits cognitivos.

Indivíduos de todas as idades que são diagnosticados com um transtorno mental podem se beneficiar da terapia ocupacional. Além disso, amigos e familiares também podem se beneficiar destes serviços para aprender maneiras de lidar com o estresse do cuidado e como equilibrar suas responsabilidades diárias para permitir que continuem a levar vidas produtivas e significativas.

Enfrentando as barreiras da saúde mental na comunidade

Os profissionais de terapia ocupacional abordam as barreiras para um funcionamento ideal da rede de saúde mental através de intervenções que se concentram em melhorar as habilidades existentes, criar oportunidades, promover o bem-estar, modificar ou adaptar o ambiente, e prevenir recaídas. A seguir, uma lista de desafios dentro da saúde mental que a terapia ocupacional:

Estigma: a terapia ocupacional aborda a autoeficácia, proporcionando oportunidades de domínio pessoal, bem como as relações interpessoais individuais.
Segurança: as intervenções da terapia ocupacional incluem autocuidado, acesso a serviços e apoios e prevenção da vitimização através de atividades diárias saudáveis e significativas.
Baixo status socioeconômico: as intervenções de terapia ocupacional abordam o desempenho educacional, preventivo e vocacional. os profissionais da terapia ocupacional colaboram com clientes, educadores, empregadores e outras agências para ajudar a pessoa a alcançar o sucesso no mundo do trabalho.
Falta de moradia a longo prazo: os profissionais de terapia ocupacional podem analisar as circunstâncias de vulnerabilidade no sentido de moradia, oferecendo um abrigo e desenvolvendo rotinas e hábitos para utilizar de maneira funcional o espaço.

A terapia ocupacional contribui para o tratamento de condições psiquiátricas. No entanto, em certos casos, é importante buscar internação. Mais informações sobre o tema no Blog da Clínica Cleuza Canan: https://clinicacleuzacanan.com.br/blog/clinica-psiquiatrica-2/

Website: https://clinicacleuzacanan.com.br/blog/clinica-psiquiatrica-2/