Últimas Notícias

O diferencial da fisioterapia na reabilitação física

São Paulo 27/10/2021 –

A fisioterapia tem um papel fundamental não só na reabilitação física e motora, mas especialmente na psicológica, pois devolve o bem-estar e a vontade de viver aos pacientes.

A fisioterapia abrange a utilização de inúmeros tipos de terapias, equipamentos, mobiliários e habilidade dos profissionais fisioterapeutas para efetuar exercícios e demais procedimentos que ajudem o paciente a recuperar sua autonomia o máximo possível. É o COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional) que atua enumerando a classificação e descrição das principais funções desses profissionais com base em cada patologia. Essa área evidencia a recuperação e reabilitação humana priorizando o bem-estar físico, mental e social. Por isso, a qualidade de vida de pessoas que tiveram traumas, enfermidades adquiridas ou alterações genéticas pode ser impactada através da fisioterapia.

Quando os movimentos físicos e atividade motora de uma pessoa está ameaçada por causa de lesões, dores, envelhecimento ou distúrbios, é essencial que sejam tratadas com terapias manuais. Nesse caso, não existem outros tratamentos mais eficazes do que a fisioterapia na reabilitação física. Essa ciência atua na estimulação psicomotora, melhora a postura e minimiza problemas que podem ter sidos gerados por inúmeros motivos. A fisioterapia é um divisor de águas no tratamento. A fisioterapia é uma das áreas mais versáteis na área da saúde, ela pode ser o caminho para a recuperação após acidentes, alívio de dores, melhora respiratória pós doenças como pneumonia, bronquite e covid-19, tratamentos relacionados ao sono, recuperação esportiva, incontinência urinária, terceira idade, melhoria na postura, entre outros.

Muitos pacientes voltam a andar depois de um grande trauma por causa do tratamento da fisioterapia na reabilitação física. Outras conseguem melhorar a sua autonomia, movimentar melhor o corpo, reduzir as dores e conquistar mais qualidade de vida.
O exercício dessa atividade não envolve exercícios físicos sem metas, todas as fases de um tratamento foram cientificamente estudadas e com resultados comprovados. Desde o manejo do paciente, a aplicação de movimentos e o uso de equipamentos não são aleatórios, mas, sim, devidamente pensados para trazer avanços a cada sessão.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) a fisioterapia na reabilitação aborda diversas estratégias para que os pacientes que possuem limitações físicas consigam interagir melhor com o ambiente. Em determinadas situações, a reversão do problema do paciente é perfeitamente possível, contudo, em outros infelizmente não. Mesmo assim, é importante considerar medidas que melhoram a capacidade motora e as dores do indivíduo, dessa forma, ele não vai precisar usar tantos medicamentos. O fisioterapeuta alinha estratégias de terapia manual com o uso de alguns equipamentos, como o ultrassom sonopulse iii , como recurso para ajudar o paciente na reabilitação.

Vale lembrar que o programa de fisioterapia na reabilitação física muda de acordo com o tipo de lesão apresentada pelo paciente.
Tudo vai depender do objetivo, pode ser o tratamento de lesões iniciais, restabelecer o controle neuromuscular, melhorar a amplitude do movimento, proporcionar mais estabilidade central, ganho de força muscular, aumentar a resistência, recuperar o equilíbrio, controle da postura e muitos outros. São muitas as abordagens fisioterápicas, porém, quando uma lesão é tratada no início o impacto é mais positivo no curso de todo o processo da reabilitação, diante disso, o tempo de tratamento é reduzido.

Website: http://www.hsmed.com.br