Últimas Notícias

Investir em microfranquias é tendência no mercado brasileiro

São Paulo – SP 27/10/2021 – O mercado de tecnologia aqui no Brasil está crescendo a passos largos e tem muito o que desenvolver ainda

Aos poucos, a economia reage e caminha para a recuperação. De acordo com o Sebrae, o número de micro e pequenas empresas e de microempreendedores individuais (MEIs) abertos no primeiro semestre de 2021 foi o maior desde 2015. Ao todo foram 2,1 milhões de novos negócios abertos de janeiro a junho deste ano, no país. Foram 35% a mais de empresas oficializadas, quando comparado ao mesmo período de 2020 e quase o dobro em relação a 2015.

Dentre os diversos setores econômicos, o franchising continua se destacando e crescendo no Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), no primeiro trimestre de 2019, o faturamento das franquias no mercado brasileiro subiu 7% comparando com o ano anterior.

No segundo trimestre de 2021, após um período de incertezas por causa da pandemia, o faturamento do setor de franquias foi de R$ 41,1 bilhões, com uma recuperação de 48,4% em relação ao mesmo período de 2020, que apresentou uma receita de apenas 27,7 bilhões. É esperado, de acordo com estimativas da ABF, um avanço de 8 a 10% até o fechamento deste ano.

O que são e para quem são indicadas as microfranquias

Com muita energia e vontade de empreender, mas com pouco capital para investir, é natural que o brasileiro busque um modelo de negócio já testado, com suporte e que equilibre a relação custo-benefício. Dessa forma, franquias baratas com operações descomplicadas e enxutas atraem novos franqueados por todo o país.

Especificamente para este nicho de futuros empresários, a ABF indica modelos de microfranquias. Elas custam, no máximo, R$ 105 mil, permitem um horário de trabalho flexível, e a maioria funciona na modalidade home based. O franqueado pode economizar com aluguel de sala ou loja, trabalhar de casa e dificilmente terá que contratar funcionários.

Isso permite ser dono do próprio negócio somente com o valor do investimento inicial. Mas não significa que por ter um formato de operação menor, a microfranquia vai exigir menos trabalho. Pelo contrário, ele é indicado para pessoas empenhadas e focadas no sucesso mediante esforço. Dedicação e organização são palavras de ordem, assim como seguir as normas da franqueadora.

Neste universo os negócios são dinâmicos, com opções que podem variar de alimentação a serviços de limpeza, lojas de acessórios, mecânica e corretoras, empresa de crédito ou seguros, serviços residenciais, intercâmbio e agência de viagens e até uma pequena agência de marketing digital e serviços de tecnologia voltados para internet.

Vale lembrar que de acordo com dados da ABF, todos os segmentos de franquias fazem parte desta recuperação econômica e que dentre os destaques está “Comunicação, Informática e Eletrônicos” com uma variação positiva de 11,7% comparando os mesmos períodos de 2020 e 2021.

Segundo a ABF, 557 redes brasileiras operam com modelos de franquias de baixo custo (outro nome para microfranquias) e a expectativa é que nos próximos anos esse tipo de negócio continue como tendência. Afinal, 36% das redes que ainda não operam neste formato, já demonstram interesse em desenvolver esta opção, de acordo com informações da Associação.

Empreendedores de primeira viagem são os mais atraídos por microfranquias. E um levantamento da instituição especializada em franchising apontou que:
29% das unidades de microfranquias levam, em média, de um ano a um ano e meio para dar retorno sobre o investimento;
33% de todas as microfranquias têm prazo de retorno do investimento estimado em até 12 meses;
79,8% das redes só operam com este tipo de formato e 20,2% das microfranquias também operam com outros formatos mais complexos.

Quem estiver de olho nesse tipo de oportunidade pode começar a buscar opções em um segmento que torne o seu trabalho prazeroso e com o qual já tenha alguma afinidade.

Novos empreendedores

Apaixonada por tecnologia e segura com sua bagagem profissional, a especialista sênior em testes de software, graduada em Ciência da Computação e com pós em Engenharia de Software e Gerenciamento de Projetos, Amanda Porcino de Souza, inaugurou em agosto uma microfranquia de marketing digital e outros serviços para internet.

Ao lado do sócio Thiago Gomes Rodrigues, que possui formação em Técnica de Vendas e é analista comercial em marketing digital, a empreendedora conta que sempre teve aptidão para negócios. “O mercado de tecnologia aqui no Brasil está crescendo a passos largos e tem muito o que desenvolver ainda”, explicou a empresária que investiu em uma franquia Hostnet na região de Sapopemba – SP

“Tem sido desafiador, porém é necessário ter coragem para vencer. A pandemia trouxe diversos malefícios para todo o mundo, mas apresentou muitas oportunidades no mundo digital. Essa é uma boa hora para investir em um negócio, a economia está retomando e logo colheremos os frutos”, destacou Amanda.

Website: https://www.hostnet.com.br