Últimas Notícias

Bairro-cidade inteligente projeta boas práticas ambientais, sociais e governança

Santa Catarina (SC) 10/2/2022 – A ideia é sempre melhorar as cidades, com o objetivo de construir lugares para a comunidade morar, trabalhar, estudar e se divertir, explica Marcelo Gomes

O crescimento das cidades interfere na qualidade de vida de seus habitantes. Cabe ao urbanismo encontrar soluções para o sistema de transporte, a mobilidade, os locais para habitação, serviços públicos, locais de lazer e de áreas verdes. O planejamento urbano é um processo importante para o desenvolvimento da cidade visando a melhora das áreas urbanas existentes e das que serão criadas.

A utilização excessiva de automóveis gera grande dano ecológico e compromete muitas qualidades urbanas, incluindo a “caminhabilidade” dos cidadãos. Para que haja melhoria na qualidade ambiental, redução de emissões poluentes e economia de energia, é fundamental que as cidades deixem de ser concebidas para carros e passem a focar nas pessoas e nas necessidades relacionadas à segurança, à mobilidade e ao lazer. Medidas que melhoram a integração do transporte público e o acesso de pedestres aos locais tendem a incentivar a redução do uso de carros.

Andar é uma atividade humana básica. As cidades devem ser projetadas para que essa prática seja fácil e agradável. Esse paradigma tem sido estudado desde o fim dos anos 80 e é fundamental para a mudança por cidades mais sustentáveis e humanas. O chamado Novo Urbanismo contempla essa dentre outras questões para o resgate da qualidade de vida e melhor relacionamento entre o homem e a cidade.

O Novo Urbanismo é um movimento voltado para o desenho urbano que defende o projeto de vizinhanças para pedestres com funções mistas de habitação e trabalho. Surgiu nos Estados Unidos no início dos anos 1980 e continua atuante em muitos projetos de desenho e planejamento urbano.

Circular com conforto e segurança a pé e de bicicleta é um direito. A mobilidade urbana é essencial para cidades mais democráticas e menos excludentes. Todos os pedestres, incluindo crianças, idosos, pessoas com dificuldades de locomoção ou visão, devem ter sua mobilidade na cidade garantida.

Ao longo de mais de duas décadas construindo na região da Grande Florianópolis, a Cidade Criativa Pedra Branca é um bairro-cidade inteligente com planejamento urbano sustentável. O empreendimento já recebeu prêmios como o de Urbanismo, da Bienal de Buenos Aires em 2007; do Financial Times de Londres em 2008; e foi convidado em 2009 pela Fundação Bill Clinton, para integrar o programa de Clima Positivo.

O bairro-cidade conta com mais de 8 mil moradores e um público flutuante mensal de 100 mil, movimentando cerca de R$1 bilhão anuais pelas empresas do município. O planejamento do plano diretor tende a comportar em 2025 cerca 30 mil habitantes em uma área de 1,7 milhão de metros quadrados, gerando aproximadamente, 15 mil empregos.

A nova centralidade de bairro compacta, densa e conectada foi criada a partir das premissas do Novo Urbanismo, com foco na promoção da “caminhabilidade”, com infraestrutura planejada para oferecer a oportunidade de morar, trabalhar, estudar, fazer compras e se divertir em um só lugar.

Marcelo Gomes, presidente da Cidade Criativa Pedra Branca anuncia novidades planejadas para as próximas duas décadas do empreendimento, projetado para comportar 40 mil moradores no bairro, sendo 10 mil estudantes e 30 mil trabalhadores. “A ideia é sempre melhorar as cidades, com o objetivo de construir lugares para a comunidade morar, trabalhar, estudar e se divertir”, Marcelo Gomes, presidente Cidade Criativa Pedra Branca.

Inspirados nas práticas do Novo Urbanismo o desenvolvimento dos projetos devem promover bem-estar para toda a comunidade ao proporcionar uso compartilhado de espaços e, também, de utensílios e equipamentos em benefício do conforto, da praticidade e da eficiência.

De acordo com os princípios do Novo Urbanismo, é essencial a reconquista da rua como lugar de encontro, estar e convivência dos pedestres. A ideia é transformar a cidade em um local de convívio onde o pedestre é a prioridade. Reformar e reconstruir as calçadas, iluminando-as, alargando-as e as tornando acessíveis a cadeirantes, idosos e crianças, é caminhar para uma cidade mais humana.

Os princípios do novo urbanismo podem ser aplicados cada vez mais a projetos em toda a gama de escalas, de um único edifício até uma comunidade inteira. Ele está baseado nestes 10 pilares abaixo:

1) Deslocamento a pé: ter acesso à maioria dos serviços com uma caminhada de 10 minutos e ruas livres para pedestres;

2) Conectividade: redes de ruas interconectadas de forma a dispersar o tráfego e facilitar a caminhada;

3) Uso misto e diversidade: uma mistura de lojas, escritórios, apartamentos e casas no local e diversidade de pessoas — de idades, níveis de renda, culturas e raças;

4) Variedade de imóveis: com casas e prédios de diversos tipos, tamanhos e preços em uma localidade próxima;

5) Arquitetura de qualidade e design urbano: ênfase na beleza, estética e conforto humano;

6) Típica estrutura de vizinhança: com espaço aberto ao público no centro, planejamento do transporte com maior densidade no centro e menor nas bordas;

7) Densidade aumentada: mais edifícios, residências, lojas e serviços mais próximos para facilitar a caminhada, permitir um uso mais eficiente de serviços e recursos e criar um lugar mais conveniente e agradável para viver;

8) Transporte verde: design amigável que incentiva um maior uso de bicicletas, patins, scooters e caminhadas como transporte diário;

9) Sustentabilidade: impacto ambiental médio do desenvolvimento e suas operações, aplicação de tecnologias amigáveis ao meio ambiente e eficiência energética;

10) Qualidade de vida: juntos, esses aspectos somam uma alta qualidade de vida, criando lugares que enriquecem, elevam e inspiram as atividades do dia a dia.

Website: http://www.cidadepedrabranca.com.br