Últimas Notícias

Aumento na conta de luz faz brasileiros investirem em energia solar

16/3/2022 –

Os constantes aumentos na tarifa energética, chegando a 27% nos últimos doze meses, têm impulsionado o movimento de busca por energias renováveis, principalmente a solar ,que está sendo usada inclusive em empreendimentos que tem a filosofia sustentável em seus projetos.

Os constantes aumentos na tarifa energética, chegando a 27% nos últimos doze meses, têm impulsionado o movimento de busca por energias renováveis, principalmente a energia solar. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dados divulgados no mês de janeiro de 2022 indicaram que o aumento das tarifas energéticas foi bem acima da inflação, com uma alta acumulada em 10,38%. Essa recorrência no aumento das tarifas acabou impulsionando ainda mais o movimento pelas energias renováveis. Só no Sistema Interligado Nacional (SIN), o registro na primeira quinzena de fevereiro de 2022 foi de um aumento na casa dos 86,2% da produção de energia solar, segundo o boletim da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Com certeza, as pequenas residências que realizam a instalação do Sistema de Produção de Energia Fotovoltaico têm contribuído para este crescimento. Não só por conta do aumento das tarifas, mas também por acreditar em um futuro mais sustentável. “As pessoas têm procurado mais por essas alternativas porque há algumas perspectivas econômicas que se somam a este investimento, que são muito vantajosas para os orçamentos familiares e até dos negócios que optam por esse modelo. Então, é natural que, em um gráfico, vejamos esse aumento no número de instalações”, explicou Luigi Scianni Romano, sócio-fundador da Incorporadora Alphaz, que possui como diferencial a aplicação de soluções sustentáveis em seus projetos

Em 2021, o Brasil ultrapassou a marca de 10 gigawatts de potência operacional da fonte fotovoltaica em usinas de grande porte e em pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos, de acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). A geração de energia limpa deixou de emitir 10,7 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera. As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos.

O país passou a fazer parte dos 15 países com maior capacidade de geração solar instalada, lista liderada pela China (253,8 GW), seguida pelos Estados Unidos (73,8 GW) e Japão (68,6 GW).

Energia Solar

A energia fotovoltaica é a captada do sol. O termo é formado a partir das palavras “foto”, que em grego significa “luz”, e voltaica, que vem da palavra “volt”, a unidade para medir o potencial elétrico. Ela pode ser utilizada em qualquer equipamento doméstico, gerando uma redução na conta de energia. Os painéis que compõem seus sistemas são constituídos por camadas de várias células, geralmente de silício. Quando a camada mais fina, de carga negativa, é atingida pelos raios solares e absorve fótons (partículas energéticas) suficientes, seus elétrons são transferidos para a camada mais grossa, de carga positiva.

Assim é criada uma diferença de potencial entre as duas camadas, ou seja, enquanto há incidência de sol, a associação das várias células fotovoltaicas e sua ligação a uma carga geram a circulação de elétrons pelo circuito e, consequentemente, corrente elétrica. Como a produção está diretamente ligada à luz absorvida, a quantidade produzida se modifica de acordo com a estação do ano e o local onde o painel é instalado.

Construção Civil

A construção civil é um setor que tem opções para amenizar o problema do fornecimento de energia ao utilizar nos imóveis o sistema fotovoltaico, que além de gerar redução no valor da conta de luz, ainda é sustentável. A Alphaz Concept, por exemplo, é uma das empresas pioneiras, no Brasil, a desenvolver projetos residenciais ecológicos, com a previsão de instalação de um Sistema de Produção de Energia Fotovoltaico. A construtora também entrega algumas casas já com a plataforma instalada.

O sistema pode ser dimensionado de acordo com a necessidade do morador e apresenta dois modelos: o independente e o integrado. No primeiro, a casa gera energia e pode ser iluminada e alimentada sem a necessidade de estar ligada à rede convencional de energia elétrica. Já no sistema integrado, o sistema da residência é homologado pela empresa de distribuição de energia do município, e o que é gerado de energia pelo sistema fotovoltaico é jogado na rede.

Além das casas que, individualmente recebem seus próprios sistemas de geração de energia fotovoltaica, os condomínios construídos pela Alphaz vêm recebendo a implantação de estruturas que geram energia em quantidade superior, espaços com várias placas solares instaladas, gerando energia para toda a infraestrutura do condomínio e também para as casas. Além das placas fotovoltaicas, a incorporadora utiliza outros meios para tornar o empreendimento ainda mais  sustentável, como tijolos ecológicos, madeira de demolição e blocos estruturais que geram uma economia de 30% a 40% no custo das obras.

Outro recurso usado é o biodigestor de esgoto, um sistema ecológico que transforma, por meio de bactérias, a matéria orgânica em um biogás que pode ser usado como energia.

A água do esgoto também é tratada por um filtro biológico e, depois disso, fica pronta para o reuso e ainda há um sistema de captação de água da chuva, compostagem orgânica e lixeiras para coleta seletiva.

“E nesse movimento, indiretamente, as pessoas estão oferecendo ao planeta mais equilíbrio e preservação da natureza. Nossa proposta é trabalhar com construções e conceitos mais sustentáveis, para continuar incentivando essa mudança e criando um mundo melhor”, acrescentou Luigi.

Website: https://www.alphaz.com.br/