Empréstimo Consignado para aposentados, pensionistas do INSS

Últimas Notícias
Casa das Apostas Online Betway

Ataque a igreja na França deixa padre morto e religiosa ferida; EI reivindica autoria

Ataque a igreja na França deixa padre morto e religiosa ferida; EI reivindica autoria

Pelo menos três pessoas morreram após um ataque realizado na manhã desta terça-feira (26/07/2016) em uma igreja em Saint-Etienne-du-Rouvray, nas proximidades de Rouen, na França. O refém morto é o padre Jacques Hamel, de 84 anos, que teria sido degolado.

Policiais e bombeiros chegam à igreja Saint-Étienne-du-Rouvray, em Normandia
Policiais e bombeiros chegam à igreja Saint-Étienne-du-Rouvray, em Normandia

 

As outras duas vítimas são os agressores, que foram “neutralizados” pelas forças de segurança, de acordo com o Ministério do Interior francês. Além disso, uma religiosa foi hospitalizada em estado grave e um policial ficou ferido durante a operação.

O Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque. Em comunicado, os jihadistas disseram que o atentado foi realizado por “dois soldados” do grupo.

Os criminosos teriam invadido a igreja portando facas e fizeram, além do padre e da fiel, duas freiras e outras pessoas presentes no local como reféns.

Uma terceira religiosa que conseguiu fugir avisou as autoridades, que rodearam o templo com agentes do corpo de elite da Brigada de Investigação e Intervenção (BRI) da Polícia.

Segundo a emissora pública “France Info”, esta freira teria dito à polícia que os homens proferiram palavras islamitas ao entrar na igreja.

A seção antiterrorista da Promotoria de Paris assumiu a investigação e encomendou à Subdireção Antiterrorista (SDAT) e à direção geral da Segurança Interior (DGSI) as tarefas de apurar o caso. Os serviços de segurança procuram explosivos ocultos na igreja.

O presidente francês, François Hollande, original da vizinha cidade de Rouen, chegou a Saint-Étienne-du-Rouvray, acompanhado pelo ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, e declarou que os sequestradores eram “terroristas” do Estado Islâmico.

“Estamos mais uma vez enfrentando um teste, a ameaça é muito elevada”, disse Hollande, acrescentando que se trata “de uma guerra para ser conduzida por todas as frentes, no âmbito do respeito aos direitos”. “Os terroristas querem nos dividir.”

O primeiro-ministro, Manuel Valls, expressou em uma primeira reação através de Twitter seu “horror” contra o “bárbaro ataque na igreja, que “fere a todos os franceses”.

O papa Francisco lamentou o episódio e, segundo o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, está rezando pelas vítimas. O pontífice condenou “esta violência absurda” e “toda forma de ódio”.

A França está em estado de alerta desde 13 de novembro do ano passado, quando ataques jihadistas deixaram 130 mortos e centenas de feridos na capital, Paris. A medida de segurança foi estendida após, no último dia 14, um homem ligado ao EI ter feito outras 84 vítimas em Nice.

(Com agências internacionais)


Quer saber as notícias do Jornal Montes Claros em primeira mão? Siga-nos no Facebook @jornamoc, Twitter @jornalmoc e Instagram @jornalmoc.