Últimas Notícias

Quais documentos você precisa para ter um animal silvestre

Quais documentos você precisa para ter um animal silvestre

Quais documentos você precisa para ter um animal silvestre

 

Se você não tem aquele parente que tem um papagaio, isso provavelmente significa que você é quem o possui. Podem ser papagaios, jabutis ou saguis, o brasileiro costuma ter ou conhecer alguém que possui animais silvestres em seus lares.

Ainda que seja proibido por lei e inibido por uma série de regras, muitas pessoas procuram meios de adotar um animal silvestre, e existem vários meios para tal. Ocorre que, para isso, uma série de documentos devem ser preenchidos. 

Documentos necessários

Animais silvestres são super diferentes, e por isso chamam bastante atenção. Além dos olhares interessados de pessoas que querem adotar, também existem os fiscais da legislação, que assim que perceberem qualquer falha em seus documentos, confiscarão seu pet sem pensar duas vezes.

é preciso ter em mente que ter um animal silvestre, mesmo com autorização, requer uma série de cuidados específicos, tratamentos diferenciados e um espaço bem estruturado. Então, antes de dar início ao seu processo de adoção, saiba dos custos para manter a vida de seu pequeno conforme a lei determina.

Legalizando seu animal 

  • Cadastro no IBAMA: Aqui, você deverá efetuar seu cadastro no Ibama como Criador Amadorista. Esse passo pode ser feito diretamente no SisFauna, que é o sistema do Instituto. Lá, você escolhe a categoria de sua criação, quer seja de pássaros, répteis, tartarugas ou afins;
  • Entre em contato com o IBAMA: Preferencialmente direto na unidade de sua cidade. Lá, veja todos os documentos solicitados para conseguir uma licença para adquirir um animal silvestre. Se sua intenção não for a reprodução desse animal, ela deve sair com maior facilidade. É nesse ponto aqui que um profissional pode ser enviado à sua residência para conferir a estrutura na qual o animal pretende ser criado.
  • Vá atrás de um criador: Com o cadastro feito e a licença homologada, é hora de entrar em contato com um criadouro regularizado pelo Ibama. Talvez até o próprio funcionário te direcione para encontrar o criadouro ideal para você. Com isso em mãos, só falar com ele, negociar valores, entrega (caso seja de outro estado) e pronto.

Não é tão complicado assim, certo? O ponto principal é: o Ibama costuma restringir as licenças em alguns casos específicos, assim como demanda a renovação dos mesmos para fins de fiscalização.

Posso legalizar um animal que já tenho?

Uma grande dúvida é se conseguimos legalizar um animal que já adotamos ou compramos. A resposta, quase sempre, é um uníssono não. Dificilmente o Ibama permite que animais advindos do tráfico, venham a ser legalizados e a entrarem na sociedade como animais de procedência aceitável.

O tráfico de animais é um crime inaceitável e por isso o Ibama procura proibir e coibir qualquer tipo de tentativa de tornar animais vítimas do tráfico de entrarem em sociedade. É uma medida triste aos que já se apegaram aos seus animais silvestres, ainda não legalizados.

Ainda não possui um animal?

Então, como dissemos acima, agora é só seguir esse passo a passo do Ibama, consultar a disponibilidade de animais com o criador, e fim! Lembre-se, ao iniciar o processo, o Ibama pode te pedir para provar suas condições financeiras para manter o animal, obrigar consultas periódicas com um biólogo e afins.

Em Dezembro de 2015 o Ibama recebeu 1.500 solicitações, mas depois das pesquisas, entrevistas e análise dos perfis, apenas 76 desses foram aprovados e tiveram suas licenças garantidas. Portanto, lembre de, ao dar início ao seu protocolo, ter tudo alinhado para ser um dos 76 felizardos.

Te desejamos toda sorte possível e toda felicidade do mundo para esse pequeno pet consiga ir para sua casa.