Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Anater promove seminário de alinhamento do projeto D. Helder Câmara

Anater promove seminário de alinhamento do projeto D. Helder Câmara

A Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) promoveu, nesta quinta-feira (18), um seminário virtual sobre o projeto Dom Helder Câmara (PDHC), para nivelamento das informações, desde a concepção do projeto, passando pela trajetória, em suas duas fases, até os resultados alcançados. Em sua segunda fase, a expectativa dos coordenadores é que o projeto seja ampliado por mais dois anos.

Anater promove seminário de alinhamento do projeto D. Helder Câmara
Anater promove seminário de alinhamento do projeto D. Helder Câmara

 

O seminário reuniu representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), Universidade de Brasília (UnB) e da Secretaria de Agricultura Familiar e cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAF/Mapa), além da equipe técnica da Anater.

Na abertura, o presidente da Anater, Ademar Silva Jr, destacou a importância de avaliar o que está sendo feito e as possibilidades de melhoria das ações. “Todos têm trabalhando muito e com muito comprometimento para entregar o melhor para o público beneficiado. E é importante fazemos uma avaliação do que foi feito até agora para criar sinergia entre os atores envolvidos, nivelar as informações e alinhar das ações, de forma a garantir o bom andamento do projeto até o seu final”.

O oficial de Programas do FIDA, Hardi Vieira apresentou um contexto da atuação da instituição no Brasil e explicou que, além de ser um agente financeiro, o FIDA tem vários projetos em execução no país, com investimento na agricultura e na redução da pobreza rural.

De acordo com o oficial, a atuação do Fida no Brasil tem o foco geográfico no Semiárido do Nordeste, tendo como público-alvo, agricultores familiares, assentados da reforma agrária, trabalhadores rurais e comunidades extrativistas, priorizando mulheres, jovens, quilombolas e indígenas.

Um desses projetos é o D. Helder Câmara, que tem como objetivo realizar ações referenciais de combate à pobreza e apoio ao desenvolvimento rural sustentável na região do Semiárido. O projeto é realizado pelo Mapa, em conjunto com a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) e várias instituições que prestam serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater).

“A parceria com a Anater se tornou estratégica e fundamental para o êxito do PDHC. E a realização desse seminário, num momento de reconfiguração do projeto, é importante porque dá um novo ímpeto e possibilita que todos os envolvidos possam se apropriar dos seus os objetivos”, avalia.

O PDHC

O Projeto D. Helder Câmara é resultado de um acordo de financiamento entre o governo federal e o FIDA, com objetivo de contribuir para a redução da pobreza rural e das desigualdades no Semiárido, por meio de serviços de Ater, fomento às atividades produtivas, e integração de políticas públicas federais, estaduais e municipais.

A primeira fase do projeto foi realizada entre dezembro de 2000 e dezembro de 2009, em seis estados do Nordeste, beneficiando 15.000 famílias (346 associações/77 municípios). “Além das ações que estão sendo apoiadas no projeto atualmente, essa primeira fase do PDHC teve como diferencial a educação contextualizada e alfabetização e o apoio ao acesso aos serviços financeiros e de crédito”, destaca Emanuel Bayle, consultor em desenvolvimento rural do FIDA.

A segunda fase do PDHC, iniciada em agosto de 2014, integra 913 municípios dos estados de Pernambuco, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Sergipe, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte (Nordeste) e Minas Gerais e Espírito Santo (Sudeste), apoiando cerca de 60.000 mil famílias e beneficiando diretamente em torno de 126 mil pessoas.

Segundo a coordenadora técnica, Josilene Magalhães, embora o projeto tenha outras ações, nesta fase, o serviço de Ater é o coração do PDHC. “Neste último ano, conseguimos uma aproximação muito boa com a Anater, que nos permite um diálogo no sentido de primar pela execução do serviço de Ater, que é o coração do PDHC. E embora a relação com as executoras seja diretamente com a Anater, é muito importante que a gente tenha esse diálogo e consiga fazer esse alinhamento, independentemente de ter as atividades amarradas a um contrato”, pontua.

Nova etapa

Se preparando para uma nova fase, o projeto D. Helder Câmara está realizando o monitoramento e avaliação das ações que estão em execução.

O trabalho está sendo realizado pelo projeto Monitora, da Universidade de Brasília, cujos resultados vão dar suporte no planejamento, gestão do conhecimento e avaliação das ações. “Essa pesquisa vai conferir qualidade e chancela científica às ações bem-sucedidas do projeto”, destaca o professor Mauro Del Grossi, coordenador de pesquisa da UnB.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *