Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Brasileirão 2014 – Kalil diz que “cliente” Cruzeiro treme e cobra São Paulo

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, não perdeu tempo e cutucou seu principal rival. Após a vitória sobre o Cruzeiro, por 3 a 2, jogando no Mineirão, teoricamente estádio apenas do time celeste, o mandatário alvinegro falou em clientela celeste em Minas Gerais.

Kalil não economiza ironias ao rival e pede ajuda do São Paulo
Kalil não economiza ironias ao rival e pede ajuda do São Paulo

“Cruzeiro nem é freguês, é cliente. A gente joga contra o Cruzeiro com muita fé, independentemente de posição. A gente gosta de jogar com eles, ao contrário deles. A gente tem informação de quem jogou dos dois lados que eles tremem mesmo, isso está provado em números, temos um mundo de vitórias a mais”, disse em entrevista à ESPN Brasil.

Kalil ainda ironizou a falta de ajuda do vice-líder São Paulo na tentativa de desbancar o rival, que tem sete pontos de vantagem. “É normal, disputados seis pontos e ganhamos os seis. O São Paulo também tem que ajudar”, brincou em entrevista a ESPN Brasil.

Nesta temporada o Atlético-MG não perdeu para o Cruzeiro. Em cinco jogos são três empates – todos pelo Campeonato Mineiro – , duas vitórias atleticanas no Campeonato Brasileiro. No histórico geral do confronto, os números de cada um falam uma coisa, mas nos dois o alvinegro tem mais vitórias.

Marcellus Madureira Rodrigues de Oliveira – ME

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)