Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

OPINIÃO – Os valores da mulher do campo

OPINIÃO – Os valores da mulher do campo

Na semana que se comemorou o Dia Internacional da Mulher, a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) lançou o selo “Aqui Tem Mulher Rural”, com o objetivo de identificar para os consumidores em feiras livres e demais pontos de comercialização os produtos feitos por mulheres do meio rural.

OPINIÃO - Os valores da mulher do campo
OPINIÃO – Os valores da mulher do campo

 

Lançado na 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em Brasília, o Selo Mulher é um reconhecimento social da importância da presença e do trabalho desempenhado por mais de 14 milhões de mulheres que vivem no meio rural brasileiro. E segundo o último censo demográfico, as mulheres são responsáveis pela renda de 42,4% das famílias rurais, índice maior que o verificado nas áreas urbanas, onde as mulheres respondem pela renda de 40,7% das famílias.

Portanto, fortalecer o empoderamento e o protagonismo da mulher do campo é uma ação importante para o desenvolvimento rural sustentável, não apenas pelo trabalho, mas ampliando sua participação na formulação e implementação de políticas públicas para as populações rurais. Sobretudo para as questões de infraestruturas sociais, como educação, saúde, moradia e outros direitos de cidadania.

Somando-se ainda a essa homenagem justa e expressiva da Sead, as mulheres do campo são também tema da Conferência sobre a Situação da Mulher (CSW), que segue até o dia 23, em Nova York. 2018 é considerado o Ano da Mulher Rural, daí a importância da CSW, um dos principais organismos para construção de políticas voltadas para a igualdade de gênero e ao cumprimento dos direitos das mulheres.

A desigualdade de gênero é uma das causas da pobreza no meio rural, pois impede maior protagonismo das mulheres, desconsiderando seu papel fundamental para o desenvolvimento sustentável. De acordo com o Censo Agropecuário de 2006, 12,68% das propriedade rurais brasileiras têm mulheres como responsáveis e contribuem não apenas com a segurança alimentar, mas também com os mencionados 42,4% da renda familiar.

Por tudo isso, é necessário que os governos e toda a sociedade valorize plenamente a mulher rural, construindo processos e políticas públicas que as incluam em sua formulação e implementação, garantindo assim o fortalecimento do desenvolvimento rural sustentável no país.

 

 

Zé Silva
Zé Silva

 

(*) Zé Silva é agrônomo, extensionista rural, deputado federal pelo Solidariedade/MG

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *