Últimas Notícias

Montes Claros – Obras de arte a céu aberto mudam a paisagem de Montes Claros

Montes Claros – Obras de arte a céu aberto mudam a paisagem de Montes Claros

Montes Claros – Com o propósito de contribuir para o maior embelezamento da cidade, a Prefeitura de Montes Claros contratou os artistas plásticos Gu Ferreira e Roberto Marques, lotados na Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e que estão fazendo com que Montes Claros seja conhecida realmente como “a cidade da arte e da cultura”. Gu Ferreira transforma sucatas em obras de arte, ensinando o ofício a reeducandos do programa Para Além das Prisões, dentro do projeto Jardim para Borboletas. Roberto Marques, por sua vez, trabalha entalhando madeira, aproveitando troncos de árvores caídos ou comprometidos.

Montes Claros - Obras de arte a céu aberto mudam a paisagem de Montes Claros
Montes Claros – Obras de arte a céu aberto mudam a paisagem de Montes Claros
Dentre as obras mais significativas de autoria de Gu Ferreira estão borboletas, libélula, louva-a-deus, tilápia, dentre outras, que enfeitam os parques e as praças de Montes Claros, além dos bustos de Toninho Rebello, Cândido Canela e Yara Souto. As obras de arte são feitas no galpão da Prefeitura, no pátio anexo ao Setor de Transportes, na Vila Exposição, e são viabilizadas principalmente através de doações feitas pelo empresariado local.
Montes Claros - Obras de arte a céu aberto mudam a paisagem de Montes Claros
Montes Claros – Obras de arte a céu aberto mudam a paisagem de Montes Claros
Roberto Marques, por sua vez, foi responsável pela reconstrução do tradicional e famoso “Chinelão”, que foi recolocado no Trevo do Aeroporto, pela obra “A Gosto”, que está fixada na Praça Portugal, homenageando catopês, marujos e caboclinhos, bem como pela confecção de móveis rústicos e divãs que ornamentam e embelezam ainda mais os espaços públicos e áreas verdes de Montes Claros. Marques é auxiliado por artesãos da cidade, os quais ganham mais experiência e conhecimento através das atividades desenvolvidas em galpão localizado no interior do espaço onde funcionava o Zoológico Municipal.
Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Paulo Ribeiro, a comunidade também vem dando sua contribuição para ajudar no adornamento da cidade, doando obras de arte para as áreas públicas, através do programa Arte na Praça. “O maior exemplo do ‘Arte na Praça’ é o Parque Sagarana, inaugurado nesta Administração e que se transformou num verdadeiro museu a céu aberto, recebendo várias obras de arte doadas por artistas e admiradores, a exemplo de uma escultura de São Francisco, feita pelo artista Jorge Braga, e que foi doada por Carlos Araújo; um casal de anciões, feito por artesão de Tiradentes e doado por Maria Jacy Ribeiro; uma escultura de dualidade de gênero, feita pelo artista alemão Simon Bartelin, e que foi doada pela artista Felicidade Patrocínio, que também fez e doou um totem para aquele parque”, explicou Ribeiro, informando, ainda, que o apoio dos empresários vem sendo fundamental para viabilizar este programa.
“O programa ‘Arte na Praça’ é uma das formas de deixar a cidade cada dia mais bonita: qualquer pessoa pode adquirir uma escultura de algum artista para doar para a cidade, a exemplo dos empresários Ameriquim (Américo Martins), que doou um outdoor vazado que abriga as esculturas de um tropeiro, um burro e um cachorro, adquiridas por ele junto ao projeto Dedo de Gente, de Curvelo, e que está instalado na Praça Alexandre Martins, e Tone (Antônio) Santos, que doou esculturas de uma família gigante de seriemas, instaladas na Praça Engenheiro Joaquim Costa, nas proximidades do hospital Dilson Godinho”, disse o secretário, acrescentando que grandes intervenções artísticas irão impactar ainda mais a cidade no início de 2020.