Últimas Notícias

Coluna de Leandro Heringer – Choque Assassino

22 de dezembro de 2023. Dia de luto. Dia de morte. Dia de assassinato. Um site de fofocas, após realizar diversos assassinatos de reputação, promoveu um autoextermínio.

Buscando sempre notícias que promovam audiência, por meio de cliques, a página Choquei alcançou o máximo na data próxima ao Natal. O dono do meio de comunicação fez chacota da vítima, promoveu conteúdo sabidamente falso e, depois do ocorrido, desapareceu após nota pífia em que nenhuma responsabilidade foi assumida.

Censores de plantão levantam a voz contra as plataformas digitais. Lembro Bruno Latour e o dilema das armas de fogo. Não é a arma que mata. Não é o homem que mata. É o conjunto, o híbrido. As plataformas digitais são canais de distribuição. Não produzem conteúdo. Mas, produtores de conteúdo ignorando as melhores práticas e a ética aliados a tecnologias e comportamentos questionáveis podem produzir mortes.

Panfletos apócrifos existem desde a invenção da imprensa. Boatos, fofocas ocorrem desde sempre. A responsabilização de quem os produz também é histórica. Em relação à responsabilidade de meios de comunicação, há legislação a respeito.

A educação a respeito é promovida por instituições diversas: família, instituições religiosas e de ensino, entre outras. Na comunicação, cursos de jornalismo ensinam. Código de Ética deixa claro. O assassinato de reputação acompanha a humanidade e os meios de comunicação: Marcius Melhem, Escola de Base, entre outros exemplos. Infelizmente, a impunidade muitas vezes também.

Não há de se falar em censura seja dos meios de comunicação seja das plataformas digitais, mas de aplicação das leis vigentes. No caso da #choquei, foi comprovada a falsidade do conteúdo. Os efeitos foram perceptíveis. As partes foram ignoradas. Houve ação pública de desacreditar a fonte por parte do dono da página.

A tentativa de criar narrativa para tirar o foco dos produtores de conteúdo e passar para as plataformas digitais escancara o objetivo de censura. Expõe também a proteção a certos meios de comunicação. MC Daniel foi às suas redes sociais, nesta segunda (25) de Natal, e revelou que sofreu ameaça pelo dono da Choquei, o fotógrafo Raphael Sousa, após negar-se a fazer uma publi (pagar por uma publicação) para o perfil

Não é apenas o que é dito, mas quem diz e onde. A nota da Choquei demonstra o posicionamento institucional em que a ética no trabalho jornalístico, o papel social dos meios de comunicação e o respeito à vida são ignorados como valores em detrimento do número de cliques.

Leandro Heringer