Publicidade
FENICS 2108 - RESERVE JÁ,JÁ, SEU STAND!  
Inicio » Colunistas » Adilson Cardoso » Coluna – Um Caso Esportivo

Coluna – Um Caso Esportivo

No bairro das Candeias o futebol movimentava as manhãs de domingo. O campinho de terra batida com alguns resquícios de grama insistentes pelas laterais ficava no centro da comunidade, sendo que mesmo aqueles que não tivessem a menor vontade de participar dos jogos ouviam os gritos das torcidas e os apitos do juiz. Naquele domingo em especial o representante do lugar chamado de Candeias Futebol Clube, marcara amistoso com o time do Jacaré equipe de muita rivalidade nas disputas dos campeonatos locais. Entre os dois times havia dois destaques, o volante Rubaldo pelo Candeias e o atacante Chibata pelo Jacaré, ótimos atletas que foram profissionais em outras épocas, hoje são inimigos e a causa da inimizade tem o nome de Julia bocão.

Aos treze anos de idade Rubaldo já tinha quase um metro e oitenta, cabeceava bolas como se fosse um chute, era atração nos jogos da várzea e não demorou ser levado para uma peneira e passado de primeira, Chibata era da mesma idade e da mesma altura, fazia tantos gols que a feira da casa era ele quem garantia aos domingos. No auge do sucesso, uma modelo conhecida pelos lábios carnudos e beleza de televisão, fora contratada para campanha publicitária, entre uma foto e outra o Presidente do clube comemorava com ela em um motel de luxo, após um escândalo provocado por fotografias de um paparazzi, o todo poderoso negou qualquer envolvimento com a moça, que se sentindo menosprezada iniciara um romance com o Diretor de futebol, mas o paparazzi voltou a incomodar e a exemplo do Presidente, o diretor também organizara coletiva com a imprensa para desmentir os boatos. A moça mais uma vez sentira a punhalada do menosprezo e para curar a outra dor, se aproximara do Técnico do time. Neste romance não usavam o mesmo motel, se encontravam em casas de amigos e algumas vezes nos Campos de treinamentos, mas o paparazzi descobriu o novo envolvimento da modelo dos lábios grossos e partira para novo ataque, desta vez tornara ainda mais publico e um jornal esportivo dera especial destaque. O treinador na mesma linha dos outros dirigentes convocara a imprensa e chorando pedira perdão a esposa, dizendo que a moça era aventureira. Julia sem estrutura para mais outro baque do menosprezo, não perdera tempo e lançara um olhar de serpente para o Auxiliar técnico, que ciente do que enfrentaria não quis saber de problema, disse não. Sem tempo a perder mandara um bilhete com sugestões libidinosas para o Diretor do Departamento Jurídico, que também não aceitara. Então enviara inúmeras mensagens de celular para o Goleiro e todos os outros atletas inclusive os reservas, “quem caísse na rede era peixe”. Mas os únicos que se interessaram foram os Candeienses, Rubaldo e Chibata. Que não sabiam da existência um do outro na cama da mulher, segunda, quarta e sexta para um e terça, quinta e domingo para o outro. Mas a moça também saia com o roupeiro e com o motorista do ônibus. A suruba foi se repetindo até o dia em que aquele paparazzi perseguidor publicara as fotos, desta vez foram tantas que montara um livro denominado “Julia Bocão e as Bolas dos Jogadores”. Com mais este escândalo, Julia decidira por assinar o divorcio que o marido tanto queria, por coincidência era o conhecido paparazzi Juanito Cabedal que a seguia por noites e dias, descobrindo e denunciando seus amantes.

No dia do jogo entre as Candeias e Jacaré, muitas faixas no alambrado saudavam os ex-craques, fogos explodiam no ar e um grupo de forrozeiros levantava poeira… Infelizmente para os torcedores nenhum dos dois pudera vir, alegando em cartas de justificativa que receberiam homenagens em outro evento.

Adilson Cardoso
Adilson Cardoso

Leia Também

Passagens apenas por R$ 145,14 nos voos de Montes Claros para São Paulo

* Por: da redação - 18 de agosto de 2018. De Montes Claros para Salvador …

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).