Últimas Notícias

Coluna da Jerusia Arruda – Direto de Brasília

Coluna da Jerusia Arruda – Direto de Brasília

DIA D

Começa às 9h desta quarta-feira a sessão no Plenário da Câmara dos Deputados que poderá definir se o presidente Michel Temer segue ou não no comando do país. O clima é de intensa expectativa, mas o Planalto garante que tem entre 260 e 280 votos para arquivar a denúncia de corrupção passiva e abertura de um processo contra o peemedebista Supremo Tribunal Federal. Regimentalmente, são necessários 342 votos para derrubar Temer e a tendência é que haja uma longa batalha política em torno da votação.

É AMOR DEMAIS; OU NÃO

O deputado Wladimir Costa (SDD/PA) tatuou no ombro o nome do presidente da República, Michel Temer, para manifestar sua defesa ardorosa pelo peemedebista. Segundo o deputado paraense, a tatuagem, que custou R$ 1.200 dividida em quatro prestações, é uma forma de manifestar a admiração que tem pelo presidente Temer há quase 16 anos. Wladimir disse, ainda, que valeu a pena a dor e até planeja fazer uma próxima tatuagem, dessa vez na costela: “Quero escrever ‘Temer, o único e verdadeiro estadista do Brasil'”. A parlamentar garantiu que pretende mostrar a tatuagem no Plenário da Câmara, nesta quarta-feira, durante a votação sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer.

JANOT NÃO DESISTE

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou novo recurso no Supremo Tribunal Federal, nesta segunda-feira, pedindo a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Esse é o terceiro recurso do procurador-geral apresentado no STF. No agravo, Janot diz que o recolhimento provisório de Aécio Neves à prisão é medida imprescindível e urgente, e pede que, caso a decisão não seja reconsiderada, o Supremo aplique outras medidas alternativas à prisão; entre estas, a proibição de contato com qualquer investigado ou réu na operação Lava-Jato e proibição de deixar o país. Em nota, o advogado do senador Aécio Neves, Alberto Zacharias Toron, afirmou que “ainda não teve acesso à manifestação do PGR, mas segue tranquilo quanto à manutenção da decisão do ministro Marco Aurélio que, ao revogar as cautelares impostas contra o Senador, promoveu precisa aplicação das regras constitucionais”. 

PENA MAIS DURA

Condenado a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, nas investigações da operação Lava-Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também está sendo obrigado a devolver R$ 87,6 milhões aos cofres públicos. A sentença inicial fixada pelo juiz Sérgio Moro eram R$ 16 milhões, mas o Ministério Público Federal entrou com apelação ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região para aumentar a pena de Lula relativa à suposta aquisição do Triplex, junto a OAS, elevando, também, o valor do recurso a ser devolvido aos cofres públicos.

 

Jerusia Arruda
Jerusia Arruda