Vaga no Bolso
Inicio » Montes Claros » Defensoria Pública de Montes Claros quer moção de repúdio e ato contra comerciante de vídeo machista

Defensoria Pública de Montes Claros quer moção de repúdio e ato contra comerciante de vídeo machista

Defensoria Pública de Montes Claros quer moção de repúdio e ato contra comerciante de vídeo machista

A Dra. Maíza Rodrigues, defensora pública de Montes Claros, município de 400 mil habitantes no norte de Minas Gerais, reagiu com indignação ao identificar o comerciante Leandro Dias em um vídeo provocando uma mulher estrangeira a dizer palavras chulas durante a Copa do Mundo.

– Brasileiros precisam entender que assédio não é brincadeira

“Você vai dar para todo mundo de Montes Claros”, o brasileiro faz a mulher, vestida com o uniforme de voluntários da Copa, repetir. “Montes Claros, melhor boceta do mundo”, o comerciante pede para ela declarar em outro vídeo.

“O que ele fez não foi uma ofensa apenas à mulher que aparece no vídeo, foi também uma ofensa a todas as mulheres e, particularmente, às mulheres de Montes Claros”, disse a defensora que trabalha na instituição há mais de trinta anos.

Leandro tem quatro lojas em um shopping no centro da cidade e é bastante conhecido na região.
Leandro 

 

Leandro tem quatro lojas em um shopping no centro da cidade e é bastante conhecido na região. Por causa disso, não foi difícil identificá-lo refletido nos óculos da moça estrangeira filmada por ele. Segundo a defensora, o comerciante costuma “ostentar riqueza” na cidade e gosta de exibir um carro da marca Camaro.

 

“No vídeo ele mostra um extremo desprezo pela mulher, pelo fato de ela ser mulher. Cometeu um crime na Rússia e deve responder por ele lá”, disse a defensora, que pretende se reunir com coletivos feministas para fazer protestos contra o comerciante. “Vou à Câmara Municipal pedir uma moção de repúdio e organizar, junto aos grupos feministas, uma passeata na frente do local de trabalho dele.”

Vários casos

Desde o começo da Copa, vários vídeos têm circulado nas redes sociais com brasileiros abordando estrangeiros e fazendo-os repetir palavras desrespeitosas que eles não entendem. Na semana passada, o vídeo de maior repercussão mostrava vários brasileiros rodeando uma mulher estrangeira, incentivando-a a repetir as palavras “boceta rosa”. A OAB de Pernambuco e a Polícia Militar de Santa Catarina identificaram alguns deles e lançaram notas de repúdio.

Em outra gravação, um funcionário da Latam aborda três estrangeiras e repete a atitude. Nesta quarta-feira, a Latam anunciou que demitiu o funcionário. Em um terceiro vídeo, o comerciante Leandro Dias aborda outra estrangeira. Ele aparece fora de quadro, mas foi identificado pelo seu reflexo nos óculos escuros da mulher.

“Essas providências são necessárias para desconstruir o machismo”, afirmou a defensora pública, que também é militante feminista. “Essas coisas têm efeito quando começa a mexer no bolso do cara, quando dá publicidade. O outro já vai ficar, como dizemos aqui no norte de Minas, ‘de orelha em pé’, e assim a gente vai lutando.”

O coletivo feminista Filhas de Frida é um dos grupos militantes que disseram que engrossarão o protesto. “Esse comportamento fere o corpo e a dignidade da mulher”, afirmou a estudante Eduarda Porfino, membro do coletivo.

A reportagem entrou em contato com um irmão de Leandro, mas ele não quis conversar e disse que Leandro voltará ao Brasil ainda nesta semana. Após a repercussão negativa, o comerciante apagou seus perfis nas redes sociais.

O shopping popular Mario Ribeiro da Silva, onde Leandro tem suas lojas, é administrado pela prefeitura de Montes Claros. Procurada, a assessoria de imprensa disse que Leandro não é ligado a administração e portanto não caberia à prefeitura “reprimir” ou “coibir” seu comportamento.

Fonte: uol

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *