Últimas Notícias
Assim como aconteceu na última segunda-feira, pela Copa do Brasil, o uruguaio foi o principal jogador do Cruzeiro na vitória sobre o América
Assim como aconteceu na última segunda-feira, pela Copa do Brasil, o uruguaio foi o principal jogador do Cruzeiro na vitória sobre o América

Cruzeiro sai atrás, mas vira sobre o América com atuação inspirada de Arrascaeta

Cruzeiro sai atrás, mas vira sobre o América com atuação inspirada de Arrascaeta

Para vencer o América, o Cruzeiro só precisa chamar o meia-atacante uruguaio Arrascaeta. Desde 2016, o jogador marcou todos os gols da Raposa sobre o Coelho, no Mineirão. No clássico desta noite, no Gigante da Pampulha, pela 13ª rodada do Brasileirão, o gringo contou com a ajuda de Robinho e Raniel, que marcaram o segundo e o terceiro gols, respectivamente, mas ele voltou a brilhar.

Assim como aconteceu na última segunda-feira, pela Copa do Brasil, o uruguaio foi o principal jogador do Cruzeiro na vitória sobre o América
Assim como aconteceu na última segunda-feira, pela Copa do Brasil, o uruguaio foi o principal jogador do Cruzeiro na vitória sobre o América

 

O camisa 10 fez um gol e deu uma assistência, marcando o seu sexto gol em 11 jogos contra o alviverde. Christian, após uma arrancada do meio-campo e um chutaço no ângulo, marcou o de honra para os visitantes. A vitória mantém o Cruzeiro na luta pelas primeiras posições e ainda mostra uma evolução do ataque, que criou bastante e conseguiu envolver a marcação adversária.

Já o América chegou ao seu terceiro embate sem vitória, deixando a equipe com apenas um ponto a mais do que o Bahia, primeiro integrante da zona da degola. Na próxima rodada, a Raposa recebe o Atlético-PR, no Mineirão, e o alviverde vai a Curitiba para encarar o Paraná.

O JOGO

Apesar de iniciar o jogo com quatro volantes, o América começou melhor. Sem Serginho, negociado pelo Santos, dono dos direitos econômicos do atleta, o técnico Ricardo Drubscky escalou Wesley com a 10. O jogador era o principal articulador das jogadas e buscava municiar Juninho e Aderlan, responsáveis pelas infiltrações, e Rafael Moura. Aos poucos, porém, a equipe de Mano Menezes entendeu a proposta americana, neutralizou a estratégia do rival e passou a comandar as ações do duelo.

As movimentações iniciais, que deixaram o jogo bem interessante taticamente, não resultaram em chances claras de gol para nenhuma das duas equipes. A Raposa até chegou a marcar, aos 11 min, porém a arbitragem assinalou impedimento de Arrascaeta, que cruzou para Thiago Neves empurrar a bola pra dentro.

Quando o jogo seguia carente de finalizações, um erro individual originou no primeiro gol da partida. Dedé pisou na bola. O volante Christian roubou a bola, arrancou do meio-campo e mandou uma bomba no ângulo, marcando um golaço, aos 31 minutos.

O Cruzeiro não sentiu o golpe e empatou três minutos depois. Arrascaeta pegou o rebote do goleiro João Ricardo e deixou tudo igual. Os donos da casa cresceram no jogo e chegaram a virar, aos 43 min, mas em novo lance polêmico, a arbitragem voltou a anular um gol celeste. Arrascaeta mandou para as redes, mas foi assinalado um impedimento de Thiago Neves, que entrava pelo meio da área.

Diferentemente da primeira etapa, a equipe celeste voltou mais objetiva. Com boas triangulações, com destaque para Thiago Neves e Arrascaeta, o time encurralou o alviverde. As jogadas eram trabalhadas e os cruzeirenses atacavam com muitos atletas, fato que complicou a marcação do Coelho. De tanto insistir, a Raposa virou. O meia uruguaio tabelou com o camisa 30 e cruzou na segunda trave. Robinho apenas empurrou para o gol vazio.

Os visitantes sentiram o golpe e se desorganizaram. Situação que favoreceu o terceiro gol cruzeirense. Matheus Ferraz cortou mal e a bola sobrou para Raniel, que tocou de cabeça na saída de João Ricardo.

Enquanto o goleiro americano evitava alguns gols e o Cruzeiro perdia outros, o América não teve poder de reação, pouco incomodou e saiu com a derrota do Mineirão. Para a Raposa, festa e comemoração pela boa vitória.