Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Devido à quarentena, voluntários ficam presos em ilha infestada de cobras e escorpiões no Mianmar

Devido à quarentena, voluntários ficam presos em ilha infestada de cobras e escorpiões no Mianmar

Cinco voluntários da entidade ambiental Ocean Quest estão há dois meses presos na ilha de Kyun Pila, no  Mianmar, por causa da quarentena, medida para evitar a disseminação da Covid-19.

Devido à quarentena, voluntários ficam presos em ilha infestada de cobras e escorpiões no Mianmar
Devido à quarentena, voluntários ficam presos em ilha infestada de cobras e escorpiões no Mianmar

Os barcos deixaram de circular no local que é infestado de cobras, escorpiões e lagartos-monitor, conforme informações do jornal do “Sun”.

O grupo ficaria, inicialmente, um mês na ilha para proteger um recife. A inglesa Natalie Poole, de 35 anos, que é uma das voluntárias, está postando todos os desafios enfrentados no Facebook. Eles precisam se proteger da chuva e buscar alimentos, já que os mantimentos levados para o local seriam apenas para 30 dias.

“A coisa mais difícil para mim é não saber quanto tempo mais ficarei aqui”, explicou a inglesa, que trabalha como instrutora de mergulho na Tailândia e professora no Reino Unido.

“São altos e baixos. Somos um grupo muito pequeno de pessoas e vivemos em uma situação de extremo confinamento e muita proximidade. Nas nossas cabeças estão as nossas famílias em casa, o que aumenta a tensão um pouco. Estamos apenas tentando levar as coisas dia a dia”, contou.

No dia 5 de maio eles seriam resgatados, porém a Tailândia estendeu o “lockdown”. Além disso, o isolamento permanece em Mianmar.

O grupo está vivendo em uma tenda improvisada e erguida com ajuda de lixo plástico recolhido nas praias de Kyun Pila. No local, ainda há geradores portáteis funcionando.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *