Últimas Notícias
POS ON-LINE PUC MINAS

Norte de Minas – SAMU registra aumento de 11% no número de atendimentos psiquiátricos

Norte de Minas – SAMU registra aumento de 11% no número de atendimentos psiquiátricos

Norte de Minas – O primeiro mês do ano é reservado para chamar a atenção da sociedade para as questões relacionadas à saúde mental e emocional através de uma campanha que recebeu o nome de “Janeiro Branco”. Evidenciar o assunto tem como intuito promover a reflexão sobre a importância da prevenção do adoecimento emocional.

Norte de Minas - SAMU registra aumento de 11% no número de atendimentos psiquiátricos
Norte de Minas – SAMU registra aumento de 11% no número de atendimentos psiquiátricos Foto: Ascom Samu Macro Norte

 

Preparado para atender urgência e emergência 24 horas por dia, o SAMU Macro Norte também socorre pessoas em situações de surtos ou transtornos psiquiátricos. Dados do Setor de Estatística do SAMU mostram que, em 2020, foram atendidas 2.375 pessoas que se encontravam em surto psicótico, tentativa de autoextermínio, ideação suicida ou transtornos psicológicos como depressão e crise de ansiedade.

O levantamento revela ainda um dado preocupante: houve um aumento de 11% no número de atendimentos psiquiátricos, se comparado ao ano de 2019, que teve registro de 2.460 casos. Com o apoio da Polícia Militar, as técnicas para a abordagem do paciente são diferenciadas e incluem a negociação e uma aproximação cordial para não incitar ameaça à vítima e potencializar reações agressivas. Em seguida, a equipe de socorristas administra medicação no paciente e o transfere para o hospital indicado.

O crescimento no número de atendimentos pode estar diretamente ligado ao contexto da pandemia. A psicóloga do SAMU, Odinéia Guedes, explica que o fato das pessoas ficarem muito tempo em casa, e sem poder sair, a perda do contato físico, principalmente, com os familiares mais próximos, podem trazer ansiedade, porque o convívio e o laço social também são importantes para a saúde mental. Para outros, a convivência intensa com as crianças e o cônjuge em casa pode ser angustiante. “É natural sentirmos medo, ansiedade e angústia, quando estamos frente ao desconhecido. No entanto, precisamos balancear esse momento de crise mantendo o equilíbrio emocional e nos reinventando”, afirma.

Já para os profissionais da saúde existe uma espécie de paradoxo: a consciência da gravidade da doença convive com a responsabilidade do cumprimento da missão de salvar vidas, mesmo com o receio de levar a Covid-19 para dentro de casa e contaminar algum ente querido. “No SAMU, possuímos o Setor de Psicologia que atua junto aos nossos colaboradores dando todo o suporte necessário aos profissionais que estão na linha de frente, cuidando da saúde mental deles para que eles possam cuidar da saúde do povo do Norte de Minas”, disse o presidente do SAMU Macro Norte, Silvanei Batista.