Últimas Notícias

Arquivos de Tags: Coluna do Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Ecos Mentais

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Ecos Mentais Chovia forte, ventos zuniam, escuridão intensa, raios explodiam no céu revelando aquela cena macabra.  Uma velha esquelética cambaleante vestindo um molambo negro com seus braços secos feitos galhos de árvores mortas, arrastava um caixão, o ruído era estridente sobre um chão de pedregulhos. Sentenciada á pena eterna de conduzir o próprio corpo a …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Estefânia

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Estefânia O pronto socorro estava vazio, Giroto amparado pela esposa  sentou-se numa cadeira preta com o símbolo do hospital. Estava próximo ao balcão capaz de ouvir a recepcionista repetindo seu nome após a leitura da identidade. “Filho da puta daquele escorpião, tinha que picar logo hoje caralho!” Pensava deixando as palavras saírem em tons baixos …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – O Homem e a cadeira

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – O Homem e a cadeira Ninguém sabe ao certo de onde viera aquele homem. Escondia os olhos atrás dos  óculos escuros e não usava da voz para cumprimentar as pessoas. Balançava a cabeça ou a mão que estivesse desocupada. Preciso dizer também que tinha barbas e cabelos longos, a bota do pé esquerdo parecia mais …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Delírios de Greta

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Delírios de Greta A porta se abriu mais uma vez como dentes que rangem de dor. Na memória a velha e sua voz amargurada berrando demônios em nomes dos Santos, pedia que a morte antecipasse a chegada, vomitava seus horrores intrínsecos, esbravejava com a neta, a pequena criança pálida de olhos secos e aterrorizados, apenas …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Tabúas

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Tabúas Às vezes tenho nojo de olhar para as pessoas. Nojo não, tenho medo. Aliás, tenho uma série de coisas que não me fazem bem, encarar gente na rua é uma delas. Podem achar que sou cego, mas prefiro o rotulo por andar sempre de óculos escuros, que ficar confrontando, esse olho no olho me …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – O cara errado

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – O cara errado Preste atenção que não vou repetir uma só palavra!  Quero cem mil reais, você vai levar o dinheiro em notas graúdas dentro de uma bolsa grande, daquelas camufladas do exército. O ônibus para Salinas sairá por volta de onze e trinta, estarei lá dentro com sua passagem, se ele der a partida …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Fora do Jogo

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Fora do Jogo Quando era criança e até um tempo pós adolescência, a exemplo de grande parte dos seres, estereotipava as pessoas, não era com maldade interior, talvez por ingenuidade. Fanático com filmes de Kung Fu, às vezes passava madrugadas inteiras vendo os homens de olhos puxados voarem batendo em pés de coqueiros, dando saltos …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Desfecho Radical

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Desfecho Radical Zito P.G. P, ninguém jamais esquecerá esse nome. As trapalhadas que fazia eram únicas, na Vila do Canudo todos o conheciam, só não ganhava para vereador porque gozação ali não dava votos. “Basta de palhaços na Câmara de Vereadores!” dizia Zeca Bigode o dono de um puteiro de mulheres baratas e desarrumadas da …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – Nem Céu nem Inferno

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – Nem Céu nem Inferno A fome de conquista das religiões sangrava em todos os continentes, a cada dia novos templos se erguiam, portas eram abertas  e  letreiros pintados. Tudo em nome de Deus, em nome de uma salvação da alma, mas com um pagamento terreno de uma porcentagem mensal imposta a todos fieis. Dentro da …

Leia Mais »

Coluna do Adilson Cardoso – O Relógio

Adilson Cardoso

Coluna do Adilson Cardoso – O Relógio “O mais antigo instrumento de marcar as horas foi o “relógio do sol” que foi inventado pelos babilônios e tinha um funcionamento simples: uma haste vertical se projetava do centro de uma superfície circular, projetando uma sombra do sol para indicar a hora.” O relógio está na parede, está no bolso, no pulso, …

Leia Mais »